Crise da água

Alckmin volta a descartar racionamento de água em São Paulo

Governador negou a possibilidade de rodízio no abastecimento em evento de abertura da Parada Gay na capital

Por: Redação VEJASÃOPAULO.COM - Atualizado em

Geraldo Alckmin - Eleições_2184
Geraldo Alckmin: 'Nós esperamos que não tenha nem este ano nem no ano que vem' (Foto: Mario Rodrigues)

Menos de um mês depois de admitir que poderia haver racionamento de água em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) voltou a descartar essa possibilidade. 

+ Nível do Sistema Cantareira cai a 10,1%

No domingo (4), durante o evento de abertura da Parada Gay da capital, Alckmin foi questionado sobre um eventual rodízio ainda em 2014. "Nós esperamos que não tenha nem este ano nem no ano que vem", respondeu. Em 9 de abril, o governador havia admitido pela primeira vez desde o início da crise hídrica que o racionamento não estava descartado. Duas semanas depois, afirmou que a multa para quem desperdiçar água começaria em maio e voltou a dizer: "Se for necessário, será feito (o racionamento)". 

+ Novo secretário de Recursos Hídricos anuncia multa por desperdício de água

O nível de água do Sistema Cantareira, que abastece 61% da Região Metropolitana, continua em queda. Nesta segunda-feira (5), atingiu 10,1%. Não há previsão de chuva para os próximos dias. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO