Criminalidade

Polícia identifica suspeito de tentar roubar filho de Alckmin

Criminoso é ex-presidiário e mora na favela Real Parque, no Morumbi

Por: Nataly Costa - Atualizado em

Eleições - Geraldo Alckmin_2184
O governador Geraldo Alckmin (Foto: Mario Rodrigues)

A polícia já sabe quem é um dos envolvidos no crime contra o filho do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Thomaz Rodrigues Alckmin, de 30 anos, que sofreu uma tentativa de assalto no último domingo (2). O suspeito, um dos quatro integrantes de uma quadrilha, é ex-presidiário e mora na favela Real Parque, no Morumbi. Ele levou um tiro na mão durante o confronto com os seguranças e está foragido. Com a identidade do bandido, a polícia espera prender em breve os outros comparsas. 

+ Bandidos atacam filho e neta de Geraldo Alckmin

Dentro da polícia o assunto tem sido tratado como tentativa de roubo ao carro de Thomaz, um Hyundai i30. Segundo policiais, o modelo é um dos mais visados pelos ladrões na capital por ter peças de difícil substituição - depois do crime, vão direto para o desmanche. Apesar de o governador e o secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, afirmarem que "nada está descartado", a ideia de que o ataque teria sido um atentado contra o filho mais novo de Alckmin na tentativa de atingí-lo é considerada bastante remota pela investigação.

Além disso, a polícia ouviu o dono do Nissan Tiida roubado e usado pelos bandidos para assaltar Thomaz. Pelo relato, a abordagem foi idêntica: no bairro de Perdizes, na Zona Oeste, a quadrilha deu um cavalo de pau na frente do Nissan e rendeu a vítima. No caso do filho do governador, aconteceria o mesmo, não fosse a ação da escolta policial, que pegou de surpresa os ladrões.

Tiros

Com a filha de 9 anos no banco de trás, Thomaz Alckmin foi abordado pelos bandidos por volta das 21h30 de domingo (2), na Rua Professor Alcebíades Delamare, uma alça de acesso à Marginal Pinheiros. Ao tentar cercar o carro, dando um cavalo de pau na frente do Hyundai, os ladrões foram surpreendidos pelos policiais que fazem a escolta do filho do governador em um carro comum, sem identificação. O Nissan Tiida usado pela quadrilha levou cinco tiros. Outro disparo, provavelmente feito pelos bandidos, atingiu de raspão o Hyundai de Thomaz. Nem ele, nem a filha nem os PMs ficaram feridos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO