Cidade

Adolescente é detida nos Estados Unidos por falta de documento

Irmã diz que garota estava com a autorização e mãe suspeita de represália após selfie em local proibido

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

lilliana matte
Lilliana Matte: detida em Miami (Foto: Reprodução/Facebook)

Mais uma adolescente foi detida nos Estados Unidos ao tentar entrar no país sem o acompanhamento de um responsável. A roraimense Lilliana Mattos, de 17 anos, foi detida há seis dias no aeroporto Opa Locka Executive, em Miami. De acordo com o portal G1, a mãe da garota, Anaíde Matte, diz tratar de uma represália por ela ter tirado uma foto dentro da área restrita. A autoridade local disse à família que a detenção ocorreu porque Liliana é menor de idade e viajava desacompanhada.

Bianca Matte, irmã de Lilliana, postou em seu perfil no Facebook que a garota tinha, em seu passaporte, a autorização dos pais oficializada pelas autoridades brasileiras para poder viajar sozinha.

lilliana
Post da irmã e Lilliana sobre situação da adolescente (Foto: Reprodução/Facebook)

A garota, que foi eleita Miss Brazil Model 2015, estava em Bahamas com os amigos e voltava a Miami para encontrar com a mãe que está em Caracas, na Venezuela, se recuperando de uma cirurgia. Ela contou ao G1 que encontraria com Liliana para passear e depois voltariam ao Brasil em setembro para passar a faixa do concurso para a vencedora de 2016. Anaíde ainda relatou que a adolescente está desesperada.

No início do mês, outra jovem foi detida ao entrar no país. Anna Stéfane Radeck, de 16 anos, viajou para os Estados Unidos no dia 10 de agosto para visitar uma tia. De acordo com Veja.com, ao desembarcar no aeroporto em Detroit, a jovem foi detida e levada Chicago, onde levou dez vacinas. A família só foi informada da apreensão três dias depois.

A autoridade local também afirmou que a garota não tinha os documentos necessários para viajar sozinha. Segundo apuração do portal G1, a família diz o contrário. Ainda de acordo com o site, a jovem só tem direito a dois telefonemas e um encontro com familiares por semana, cujo local é determinado pelas autoridades americanas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO