CARNAVAL

Blocos de rua agitam São Paulo após o Carnaval

Foliões podem curtir a festa na Quarta-Feira de Cinzas; há outras opções também durante todo o mês

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

cordao-agua-preta
Bloco do Água Preta desfila pelas ruas da Pompéia neste sábado (8) (Foto: Reprodução / Facebook)

O Carnaval acabou, mas a folia continua em São Paulo. Afinal, os paulistanos ainda encontram uma boa alternativa para curtir no fim de semana. Os blocos  Torcida Futebares desfila a partir das 14h com a concentração marcada para a Rua Aspicuelta com a Rua Mourato Coelho, na Vila Madalena.

Confira abaixo os horários dos principais blocos que ainda rolam por aqui e fique de olho na cobertura da folia também pelo nosso Twitter: @VejaSp.

PÓS-CARNAVAL

8 de março, sábado

9 de março, domingo

16 de março, domingo

  • 14h - Casa Comigo - Local: Rua Beatriz, 61 - Vila Beatriz

Confira a cobertura feita dos blocos que saíram pela cidade durante o carnaval:

Terça-feira (04)

Grande parte do público deixou para curtir o Carnaval de rua de São Paulo nesta terça (4) depois da forte chuva que caiu em vários cantos da cidade, deixando alguns bairros em estado de atenção. Um dos últimos blocos, o Agora Vai, fez sua concentração no Largo Padre Perícles, próximo ao Minhocão, reunindo mais de 5 000 foliões.

Para sacudir o público, o grupo cantou marchinhas clássicas e contou com a ajuda de uma bateria. Leandro Oliveira, de 31 anos, investiu na fantasia para curtir a noite. "Venho nesse bloco todos os anos por conta da animação."

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Ao longo do trajeto, muita sujeira estava espalhada pelo Minhocão. Por causa dos poucos banheiros químicos no local, as pessoas utilizaram a rua. Quem aproveitou para lucrar foram os ambulantes. Era possível encontrar até mesmo alguns carregando caixa de isopor com cerveja e aceitando cartão de débito.

A Polícia Militar e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) monitoraram o trânsito e a movimentação do público desde às 19h. Mesmo assim, VEJASAOPAULO.COM chegou a presenciar um princípio de confusão durante uma tentativa de assalto. Um grupo de jovens cercou um casal que estava curtindo o bloco e tentou roubar o celular da garota, sem sucesso. Os meninos chegaram, inclusive, a dar um chute em uma mulher que estava junto do casal.

Na Vila Madalena, que costuma reunir grande parte dos blocos da capital, a chuva tirou os foliões da rua e levou para os bares da região. Inclusive, o Baile de Rua do Ó, que faria sua concentração na Rua Horácio Lane, foi cancelado pelos organizadores.

Baile de Rua do Ó
Baile de Rua do Ó é cancelado na Vila Madalena (Foto: Marcus Oliveira)

Nas outras vias do bairro, como Aspicuelta e Fidalga, que serviram de palco para uma verdadeira festa a céu aberto na segunda (03) à noite, era possível transitar sem nenhuma dificuldade nesta terça.

Segunda-feira (3)

A banda Samba do Gringo Doido comandou a festa na Vila Madalena na noite desta segunda (3). Às 21h, o grupo partiu da Rua Belmiro Braga arrastando mais de 800 foliões pelas vias do bairro ao som de instrumentos de percussão. 

Mesmo com poucas pessoas fantasiadas e os principais hits de Carnaval, a festa foi muito animada, já que se transformou em uma grande balada na rua. Estrutura também não faltou. Ambulância estava no local para auxiliar quem precisava de ajuda. A Polícia Militar garantiu a segurança. Além de fechar as ruas, agentes da Companhia de Tráfego (CET) distribuíram testes do bafômetro.

No final do bloco, a percussão parou. Entretanto, a animação não terminou. Os foliões continuaram na região dançando ao som de funk, axé e pagode, tomando conta dos bares da região, que aproveitaram para lucrar.

Lambuza

Fazendo sua estreia no Carnaval de São Paulo, o bloco Lambuza reuniu aproximadamente 300 foliões pelas ruas do centro da cidade. A banda reuniu muitas pessoas fantasiadas em um clima de bloquinho tradicional, com direito a marchinhas e hits de axés antigos. 

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

A estrutura contou apenas com policiamento.  Os participantes não encontraram ambulância ou banheiro, o que fez muitos usarem o Anhangabaú e as paredes do Teatro Municipal como banheiro. O grupo distribuiu purpurina, promovendo um colorido especial ao bloco, que contou com a presença de muitos jovens e também de pais e filhos.

Durante o trajeto, um rolo de papel era aberto como um tapete vermelho para o trio passar. A polícia precisou fechar um lado do viaduto do Chá. Mesmo assim, carros e ônibus conseguiram passar no sentido Sé.

Vai Você em Dobro

O que inicialmente seria uma concentração de amigos, transformou-se em uma grande caminhada da alegria. Por onde passou, o bloco Vai Você em Dobro animou as ruas de Pinheiros na tarde desta segunda (3). Os organizadores esperavam reunir aproximadamente 200 pessoas, mas cerca de 2 000 foliões ocuparam as vias da região.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Ao som das tradicionais marchinhas, os participantes desfilaram alegria pelo bairro, atraindo moradores que estavam nas portas de suas casas. Mas nem tudo são flores. Apesar de avisarem a prefeitura, os organizadores não contaram com estrutura para a festa popular.

Com isso, as vias não foram interditadas, o que prejudicou a circulação dos carros. Além disso, faltaram banheiros químicos, causando a reclamação de muitos participantes. Mas esses problemas não foram suficientes para acabar com a alegria.

Esfarrapado

Com muito confete a tradicional espuma, a folia começou cedo em São Paulo nesta segunda-feira (3). Às 10h, o tradicional bloco Esfarrapado, do Bixiga, foi reunindo aos poucos adultos e também muitas crianças, como uma grande festa da família. Por volta das 11h, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) interditou a região para o desfile dos foliões.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Apesar da área determinada, muitos foliões invadem as ruas que estão liberadas para o trânsito, irritando alguns motoristas, que se manifestam com as buzinas. 

Com muitos integrantes da terceira idade, a banda animou os participantes com músicas tradicionais. Um carro de som completou a festa. Os bares da região aproveitaram para lucrar. Um vendedor de cachorro-quente também se transformou em uma boa opção. O lanche completo custa 6 reais.

Fantasiadas, as crianças fazem a festa com o confete. Já muitos adultos dançam paramentados com a camiseta do bloco.

O maior Carnaval de rua de São Paulo segue até a noite, quando o Antiacadêmicos do Baixo Pinheiros ganha as ruas da Vila Madalena.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Domingo teve blocos no centro e Pinheiros

O tempo ficou nublado em alguns pontos da capital no domingo (2), mas os foliões não desanimaram. Nem mesmo os roqueiros do Bloco 77 - Os Originais do Punk, que pulou o Carnaval ao som de punk rock tocado como se fossem marchinhas.

O grupo se reuniu, na tarde do domingo, nas esquinas da ruas Cardeal Arcoverde e Simão Álvares. Sem a presença de agentes da CET, o bloco acabou interditando a Simão.

Outro ponto da cidade ainda tomado pro foliões é a região Praça Benedito Calixto, também em Pinheiros. Ali, rolou a concentração dos blocos Bastardo e Jegue Elétrico. As ruas João Moura e Lisboa estão tomadas pelos foliões e devem ser evitadas pelos motoristas.

No centro, o bloco Cordão do Triunfo reunia cerca de cem foliões por volta das 17h40, na Rua do Triunfo, região da Cracolândia. O grupo estava animado, mas não concentrou centenas de foliões como os mais tradicionais. Compõem o trajeto a Rua Santa Efigênia e a Avenida Ipiranga. Entre os foliões, circula a atriz Mel Lisboa, madrinha do bloco.

Outros blocos do centro interditaram vias nas proximidades da Estação Julio Prestes e da Avenida Tiradentes, região da Luz.

Fonte: VEJA SÃO PAULO