Trânsito

Acidente em Pinheiros: motorista é indiciado por morte de amigo

Após prestar depoimento na manhã desta quarta-feira (28), Luiz Matheus Santos Nunes foi liberado 

Por: Juliana Deodoro

Acidente Pedroso de Morais
Volvo S60 onde estava Maurício Fittipaldi Morade (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

O advogado Luiz Matheus Nunes Santos foi indiciado nesta quarta-feira (28) pela morte de seu amigo de infância Maurício Fittipaldi Morade. Ele responderá por homicídio com dolo eventual (quando o indiciado assume o eventual risco de matar), com o agravante de ter evadido o local do acidente. Os dois estavam no Volvo S60 que se chocou contra um poste na madrugada de segunda-feira (26), em Pinheiros. Segundo testemunhas, o veículo estava em alta velocidade, Morade morreu carbonizado.

Nunes Santos, que estava desaparecido, se apresentou na manhã desta quarta-feira (28) no 14º DP (Pinheiros). Após prestar depoimento, ele deixou a delegacia às pressas, sem falar com a imprensa.

Acidente Avenida Pedroso de Morais - Luiz Matheus Nunes Santos
Luiz Matheus Nunes Santos deixa a delegacia após prestar depoimento (Foto: Juliana Deodoro/VEJASP)

A polícia o procurava desde a noite de segunda-feira, quando chegou à conclusão de que ele dirigia o veículo. Inicialmente, a polícia divulgou, com base em depoimentos de testemunhas, que Morade conduzia o automóvel, avaliado em 150 000 reais.

A investigação, no entanto, tomou novo rumo após a família do empresário afirmar que Nunes Santos estava ao volante. Ambos estavam juntos no domingo (25). Imagens de câmeras de segurança gravadas na noite do acidente mostram um homem com uma camisa cinza e estampa nas costas saindo do veículo e tentando socorrer a vítima. Os dois se parecem fisicamente e, segundo fontes da investigação, estariam com roupas semelhantes.  

O acidente

A batida ocorreu por volta das 2h30 da madrugada de segunda na Avenida Pedroso de Morais. De acordo com a Polícia Militar, o condutor perdeu o controle do veículo e bateu em um poste. Um transformador fixado na estrutura de concreto caiu sobre o veículo e explodiu, causando o incêndio.

Confira as últimas notícias

Na delegacia, o segurança Renato Lima reconheceu por foto o motorista, que supostamente estaria embriagado. “Ele saiu correndo quando os bombeiros chegaram.”

Outra testemunha, Reinaldo Vieira Pinto, declarou que o suspeito retornou para o local dez minutos após o acidente, fingindo ser apenas um curioso. Entretanto, ao ser reconhecido, deixou rapidamente o lugar.

Fonte: VEJA SÃO PAULO