Acidente

Obra do estádio do Palmeira é paralisada após morte de funcionário

Parte da arquibancada da arena Palestra desabou na manhã de segunda (15), matando o funcionário Carlos de Jesus, de 38 anos, e deixou outros quatro operários com ferimentos leves

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

palmeiras
A obra da nova Arena Palmeiras, em imagem de abril  (Foto: Divulgação)

Após o desabamento das vigas na obra do novo estádio do Palmeiras, que causou a morte do operário Carlos de Jesus, de 38 anos, e deixou mais quatro funcionários feridos, a WTorre Engenharia e Construção S/A, empresa responsável pela obra, decretou luto oficial nesta terça (16). As atividades serão retomadas a partir da próxima quarta (17) e a construtora afirma que prestará assistência psicológica e material aos familiares da vítima. O corpo do operário será enterrado no município de Araci, na Bahia.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente foi registrado às 11h26 de segunda (15) no canteiro da obra na Avenida Francisco Matarazzo,1705. Seis viaturas foram encaminhadas ao local, onde está sendo erguida a Nova Arena Palestra. A construção já deu entrada no projeto de análise técnica do Corpo de Bombeiros e o projeto recebeu orientações para se adaptar às exigências da legislação. Ainda sem data de inauguração, o novo estádio do Palmeiras começou a receber cobertura nos últimos dias.

A WTorre informou por meio de um comunicado oficial que as causas do acidente estão sob investigação e ainda não é possível apontar os motivos.

Confira a nota oficial da WTorre:

"Em respeito aos familiares do operário Carlos de Jesus, morto em acidente ocorrido hoje na obra da Nova Arena Palmeiras, e aos profissionais que atuam no empreendimento, a WTorre Engenharia e Construção S/A decretou luto no dia de amanhã no local.  Todas as atividades serão retomadas paulatinamente a partir da próxima quarta-feira. Carlos de Jesus era funcionário da TLMix, empresa prestadora de serviço para o fornecimento e montagem dos pré-moldados em concreto.

A WTorre Engenharia e Construção S/A tem oferecido assistência psicológica e material aos familiares de Carlos de Jesus. O mesmo cuidado foi dispensado a outro acidentado, Crispiniano dos Santos, que teve ferimentos leves na cabeça e no punho, confirmados após check-up realizado na Santa Casa de São Paulo.

A WTorre Engenharia e Construção S/A e a TLMix estão totalmente empenhadas em identificar, com as autoridades públicas competentes,  as causas desta fatalidade no menor prazo possível.  Tão logo tenham informações esclarecedoras, as empresas as anunciarão para a opinião pública."

Fonte: VEJA SÃO PAULO