TRAGÉDIA

Acidente com ônibus deixa 18 estudantes mortos

Veículo, que levava universitários de Mogi para o litoral de São Paulo, capotou na altura do quilômetro 84 da Mogi-Bertioga

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

Acidente Mogi Bertioga
ônibus que levava 46 pessoas capotou na Rodovia Mogi-Bertioga (Foto: José Patrício/Estadão Conteúdo)

Um ônibus da Companhia União Litoral, com pelo menos 46 pessoas a bordo, capotou por volta das 23h desta quarta (8), na Rodovia Mogi-Bertioga. Segundo as primeiras informações dos bombeiros, dezoito pessoas morreram e 28 ficaram feridas, algumas em estado grave.

De acordo com as equipes de socorro, o veículo levava estudantes das Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e Brás Cubas para a cidade de São Sebastião, no litoral paulista. Também estariam no coletivo alunos da escola técnica estadual (Etec) de Mogi. O acidente ocorreu no quilômetro 84, entre Mogi das Cruzes e Bertioga. Ainda segundo informações dos bombeiros, o motorista perdeu o controle do veículo e colidiu de frente com um rochedo na pista contrária.

Pelos menos 20 viaturas e 67 homens do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, além de oito ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do litoral, atenderam a ocorrência. Grupos de outras cidades litorâneas também foram deslocados para prestar atendimento às vítimas. Equipes do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) estavam no local ainda no início da manhã desta quinta (9) uma vez que o tráfego teve de ser bloqueado nos dois sentidos.

Causas

O capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, informou à Rede Tribuna que havia muita neblina no momento do acidente. Pelo menos quatro ônibus faziam a travessia em comboio, incluindo o que sofreu o acidente.

Os motivos que levaram o motorista do coletivo, um fretado de prefixo 4900, a perder o controle, ainda serão investigadas. Por volta de 1h desta quinta, o Corpo de Bombeiros informou que as vítimas estavam sendo atendidas no Pronto Socorro de Bertioga e em outras unidades de saúde da região.

Fonte: VEJA SÃO PAULO