Crianças

A melhor e a pior atração infantil de 2009

Críticos e repórteres de VEJA SÃO PAULO contam o que viram de bom e de ruim durante o ano

Por: Luiz Fukushiro - Atualizado em

Alice no País das Maravilhas 2145
A Cia. Le Plat du Jour em Alice no País das Maravilhas (Foto: João Caldas)

A MELHOR

Escrita e dirigida pela dupla Alexandra Golik e Carla Candiotto, da Cia. Le Plat du Jour, a peça Alice no País das Maravilhas primou pelo nonsense original de Lewis Carroll, com as ótimas interpretações de Helena Cerello, Adriana Telg e Paula Flaiban. Divertida do início ao fim, agradou aos pequenos com piadas simples e aos maiores com um humor sofisticado.

A PIOR

Os atores Fabiano Augusto (que ficou famoso como garoto-propaganda das Casas Bahia) e Alex Morenno pareciam se divertir mais que a plateia de A Garota Número Um, no Teatro Ressurreição. Seus personagens carregados de estereótipos em nada contribuíam para a trama protagonizada por Monique Alfradique, que fez Malhação, e Apoena Gurggel. Com um texto arrastado e extremamente inocente, a história da menina rica e sua amiga que quer ser famosa não convenceu.

Fonte: VEJA SÃO PAULO