Teatro

'A Descida do Monte Morgan' traz o acento cômico de Ary França

A densidade, contudo, fica nas mãos de Lavínia e Lu Brites, destaques do elenco de seis atores

Por: Dirceu Alves Jr. - Atualizado em

A Descida do Monte Morgan
Lavínia Pannunzio, Ary França e Lu Brites: um incoerente segredo (Foto: João Caldas)

Há dois anos, o cineasta Luiz Villaça estreou na direção teatral com Sem Pensar, texto da adolescente inglesa Anya Reiss. Ele despertou interesse ao elevar o desabafo de uma garota a um curioso painel das relações familiares. Agora, Villaça escolheu uma peça do americano Arthur Miller (1915-2005), A Descida do Monte Morgan, para basear sua segunda investida.

Um homem (Ary França) sofre um acidente, e a iminência da morte revela um segredo. Esse crítico ferrenho da hipocrisia tem duas mulheres (Lavínia Pannunzio e Lu Brites), que vivem em cidades diferentes, há uma década. Como o terreno da comédia dramática é fértil, Villaça pegou uma trama provocativa e lhe deu uma leitura mais leve e saborosa. Colabora para isso o acento cômico de Ary França. A densidade, contudo, fica nas mãos de Lavínia e Lu Brites, destaques do elenco de seis atores (100min). 14 anos. Estreou em 12/4/2013.

Avaliação ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO