Teatro

A comédia A Noviça Mais Rebelde

Wilson de Santos mostra versatilidade e timing cômico

Por: DIRCEU ALVES JR. - Atualizado em

A comédia A Noviça Mais Rebelde
A comédia A Noviça Mais Rebelde (Foto: Divulgação)

Nas comédias Sua Excelência, o Candidato (2006) e Advocacia Segundo os Irmãos Marx (2009), o ator santista Wilson de Santos, de 42 anos, já mostrava que roubar a cena era com ele mesmo. Amparado pela popularidade adquirida como o Juju da novela Duas Caras (2007), ele enfrenta pela primeira vez um espetáculo-solo. Em cartaz no Teatro Raul Cortez, a comédia musical A Noviça Mais Rebelde foi criada pelo americano Dan Goggin a partir de um dos personagens de seu sucesso Nunsense — montado no Brasil em 1987 como As Noviças Rebeldes e que, oito anos depois, na versão da Cia. Baiana de Patifaria, trazia Santos na pele da Irmã Maria José em um elenco totalmente masculino.

Foi o próprio ator quem imaginou esse reencontro com a espevitada freirinha e fez a sugestão a Goggin, seu amigo desde a temporada de As Noviças Rebeldes. O talento do artista no palco se sobrepõe a uma frágil dramaturgia. Dona de passado obscuro, a Irmã Maria José sempre almejou o estrelato, mas nunca teve chance de brilhar sozinha. Aproveitando o atraso da madre superiora, a noviça assume o comando do show idealizado por sua irmandade para os fi éis da igreja e realiza o sonho. Entre o improviso e a interação, Wilson de Santos, ou melhor, Maria José, arranca boas risadas e, ancorada na empatia com a plateia, promove surpreendentes jogos de bingo e de roleta como se estivesse em um programa de auditório. O timing cômico ainda é explorado em um divertido bloco de imitação das cantoras Ana Carolina, Perla e Amy Winehouse, além de uma impagável caracterização de Michael Jackson.

A Noviça Mais Rebelde (75min). 12 anos. Estreou em 13/11/2009. Teatro Raul Cortez (522 lugares). Rua Doutor Plínio Barreto, 285, Bela Vista, ☎ 2626-0261. Sexta, 21h30. R$ 30,00. Bilheteria: 14h/20h (ter. a qui; sáb. e dom.); a partir das 14h (sex.). Cc: todos (por telefone). Cd: todos. Estac. c/manobr. (R$ 15,00). Até sexta (18). Volta ao cartaz em 8 de janeiro.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO