Cidades

Filme que elogia a Rota reúne fãs da PM

Admiradores da Polícia Militar -alguns até paramentados- lotam exibição do documentário A Verdadeira História da Rota no Shopping Center 3 na Avenida Paulista 

Por: Ana Carolina Soares - Atualizado em

Eram 9 horas do último domingo (6), ainda faltava uma hora para o Shopping Center 3, na Avenida Paulista, abrir suas lojas, mas uma fila com dezenas de pessoas já se formava na bilheteria do cinema. Por 10 reais o ingresso, haviam ido assistir à pré-estreia do documentário A Verdadeira História da Rota, do diretor Elias Junior, a quinta exibição na cidade de São Paulo. Naquela manhã, houve duas sessões – uma às 10h15 e outra às 11h40- que reuniram um público estimado em 780 pessoas. No total, 3 180 espectadores viram o vídeo.

Entre 2009 e abril deste ano, o cineasta acompanhou o dia a dia dos policiais que integram a Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo que ganhou fama de violenta na década de 1990. Com o material, fez uma trilogia de documentários. A Verdadeira História da Rota, o primeiro deles, é conduzido por depoimentos de veteranos e seus filhos. Em uma declaração surpreendente, Paolla Oliveira, protagonista de novelas da Rede Globo e filha de um ex-rotariano, faz uma participação especial.

+ Saiba como visitar a Rota

Em novembro, Elias pretende lançar Carandiru, sobre o julgamento no início deste ano que condenou 73 PMs pela morte de 111 presidiários em outubro de 1992. No ano que vem, haverá a última parte, que retratará os dias atuais da Rota.

Os amigos Gabriel, de 16 anos, Micael, 15, Victor, 17, e Daniel, 16, conheceram-se há mais ou menos um ano no Facebook e combinaram de ver o filme domingo de manhã vestidos como os policiais. As boinas custaram 42 reais, as camisetas, 35 e o braçal, 90, tudo comprado em lojas do centro ou em sites. Eles curtem páginas da Rota e seus veteranos, são estudantes e sonham em fazer parte da corporação. “Eles bem melhores do que o Bope, que aparece no filme Tropa de Elite, porque a polícia de São Paulo é mais tradicional. Onde eu moro, as pessoas de bem aplaudem quando a Rota passa”, diz Daniel, que vive em Guarulhos.

“O filme apresenta uma outra visão da polícia, mostrando a realidade desses profissionais que arriscam as próprias vidas para cuidar da sociedade. Há uma visão hipócrita quando a mídia e algumas pessoas condenam o trabalho nobre desses homens”, diz o estudante Pietro, de 17 anos, que assistiu ao documentário pela segunda vez. “Não tenho medo de o meu irmão entrar para essa equipe. Ao contrário, será uma honra. Os policiais da Rota são verdadeiros heróis”, diz Giovanna Burlina, 21, estudante de Direito, que o acompanhou na sessão.

+ Tudo o que rola nas telonas

A Verdadeira História da Rota marca a volta de Elias Junior após seu primeiro longametragem, Rota Comando, de 2009, baseado no livro do deputado Conte Lopes, Matar ou Morrer, escrito em resposta a Rota 66, do jornalista Caco Barcellos, obra que apresentava casos violentos da tropa. “Vendemos 11 mil cópias oficialmente, mas estimamos que os camelôs venderam 11 milhões. Os jornais da época noticiaram que nesse mercado informal, o sucesso superou A Era do Gelo 3 e em época de férias”, diz Elias.

Veja na galeria de fotos as histórias de quem acompanhou o evento no fim de semana. Abaixo, o making off do documentário:

 

+ Confira o melhor da cidade agora

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO