Saúde

6 maneiras de emagrecer em São Paulo

Com diversas opções para quem quer perder peso, conheça os pontos da cidade que oferecem desde alimentos saudáveis até opções de exercícios ao ar livre e de graça

Por: Veja São Paulo

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Os paulistanos que querem perder peso e cuidar da saúde já contam com diversas opções na cidade de São Paulo. Parques, ciclovias, feiras orgânicas e até o consultório da dieta Ravenna, que muitas celebridades aderiram e já mostraram os resultados, funcionam na capital. Confira abaixo dicas de locais para frequentar, se exercitar ao ar livre e colocar em prática a dieta e o estilo saudável do ano novo.

+ Férias 2015: um guia de atividades por toda a cidade

Dietas

Método Ravenna: o guru argentino das celebridades e das dietas milagrosas atende em consultório luxuoso na Avenida Rebouças, zona oeste de São Paulo. Com planos mensais de R$ 1 916, o local ainda possui restaurante com refeições balanceadas e de baixa palatabilidade.

Restaurante Clínica Ravenna
O restaurante da clínica: a mensalidade de 1 916 reaisnão dá direito às refeições (Foto: Ramon Vasconcelos)

Vigilantes do peso: o sistema de cardápio de pontos faz sucesso entre aqueles que não querem abrir mão de comer "de tudo um pouco". Com 40 unidades espalhadas por toda a cidade, o processo inclui reuniões semanais para uma terapia em grupo, onde os membros contam as dificuldades que sentem quando estão no processo de reeducação alimentar.

+ Com custo de 250 reais ao mês, treinamento físico de Ayrton Senna é aplicado em parques

Herbalife: a dieta é tradicionalmente americana e baseada na substituição das principais refeições por shakes nutritivos de baixa caloria. A criação de espaços, intitulados de 'Vida Saudável', oferece aos adeptos refeições durante o horário do almoço com sucos, chás e shakes de toda a linha, além dos lanches para os intervalos das refeições. Recentemente, a empresa criou também uma linha de nutrição esportiva, dedicado para quem pratica esportes em ritmo moderado.

+ Seis dicas para perder peso fazendo caminhada

Os paraísos da comida saudável

Cada vez mais as pessoas procuram por alimentos saudáveis, fugindo dos tradicionais lanches e comidas industrializadas. As opções de feiras livres vem crescendo cada vez mais.

Zona Cerealista: localizado na região central, ao lado do Mercado Municipal de SP, os apaixonados por grãos, produtos naturais e frutas secas e qualidade podem incluir o local em seu ponto de visita.

Feira da agricultura orgânica e limpa: a feira acontecer todo sábado, das 7 às 13h, no Modelódromo do Ibirapuera e no Parque Burle Marx, no Morumbi. Lá, mais de 150 produtores se reúnem para oferecer os mais diversos tipos de produtos orgânicos e naturais. Dá pra encher a despensa com R$ 100.

+ Mahamudra é alternativa de treino no Parque Ibirapuera

Mundo Verde: a empresa se consolidou como pioneira e líder na proposta de desenvolver o conceito de vida saudável e sustentabilidade no varejo brasileiro. São 365 lojas em todo o Brasil e mais de 60 só na grande São Paulo.

Aproveite o Minhocão

Quem está próximo da região central pode usar as pistas do elevado Presidente Costa e Silva, o Minhocão, para caminhar, correr, andar de bicicleta, patins ou skate. As noites de verão tem atraído mais esportistas do que de costume. De segunda a sábado, as pistas podem ser usadas das 21h30 até as 6h. Aos domingos e feriados, as pistas ficam fechadas durante todo o período.

Minhocão
Voodoohop, no Minhocão: a precursora da onda das festas na rua (Foto: Victor Moriyama / FolhaPress)

De noite no parque

+ Seis dicas para quem quer começar a correr este ano

Com a entrada do horário de verão (de 21/10 até 13/02/2015), os parques passam a permanecer mais tempo abertos. Com os dias mais compridos, o paulistano pode aproveitar mais a luz do dia nos ambientes abertos.

Parque do Ibirapuera: a mais famosa área verde da capital fica aberta desde as 5h até a meia noite, de segunda a sexta e 24h de sábado para domingo. O clima descontraído ganha força com bicicletas, patins e skates, que se misturam com as pessoas que trocam a roupa de trabalho por calça de ginástica, camiseta e tênis de corrida.

Parque da Água Branca: localizado na zona oeste, o funcionamento é até as 22h durante todo o ano. Com clima mais rural, o espaço é menos barulhento e não tem a agitação dos outros parques. Nele, é possível ver galos, galinhas e pintinhos soltos pelas ruelas. As terças, sábados e domingos, das 7h às 12h, acontece também a feira do produtor orgânico, com alimentos saudáveis e naturais.

Parque da Aclimação: aberto até as 20h, o espaço na zona sul atrai publico interessado em correr e caminhar. O lago e as trilhas que cortam a vegetação do lado leste deixa o passeio mais relaxante. Não é permitido andar de patins, bicicleta ou skate dentro do parque.

+ 10 programas para fazer nos dias quentes

Parque da Juventude: situado na zona norte, as quadras ficam abertas até a meia-noite de segunda a sábado. Aos domingos, até as 22h. A área verde é fechada às 19h todos os dias.

Parque do Povo: um refúgio verde no centro agitado da Vila Olímpia, zona sul de SP. Possui espaços separados para ciclistas e os demais frequentadores. Destaque para uma charmosa academia de ginástica para idosos. Aberto diariamente até as 22h.

Parque Villa-Lobos: recomendado para passeios de bicicleta, o parque funciona até as 20h diariamente. A área de caminhada com pistas de concreto é ótima e quadras de basquete para jogos em trio é ótima.

parque-villa-lobos-1024x682
Corrida (Foto: Reprodução)

+ Dicas rápidas para não errar na sua primeira corrida

CICLOVIAS e CICLOFAIXAS

As bicicletas definitivamente foram tiradas dos suportes e o paulistano vem ganhando mais espaço para andar de bicicleta. No site Vá de Bike, um mapa praticamente online mostra todas as faixas criadas e seus horários. Confira as mais usadas:

Dica: de segunda a sexta, é possível embarcar no metrô com bicicletas depois das 20h30. Aos sábados, após as 14h. Domingos e feriados, o acesso é permitido durante todo o dia.

Caminho Verde – Radial Leste: a iluminação noturna funciona e as árvores e jardins são bem cuidados, deixando o passeio agradável. Estende-se por 12,2 quilômetros beirando a linha 3-Vermelha do metrô (entre as estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera).

+ Receita: paleta de melancia detox

Rio Pinheiros: totalmente plana, são 21,5km de extensão da ciclovia que vai do Grajaú até próximo ao Parque Villa-Lobos (o acesso para o parque direto da ciclovia ainda não foi construído). Durante o horário de verão, os acessos para as pistas ficam até as 19h15. O caminho tem maior movimento no trecho que vai da Cidade Universitária até a região da Berrini. Os acessos para a ciclovia são feitos pela ponte da Cidade Universitária, ponte Cidade Jardim, estações Vila Olímpia, Santo Amaro e Jurubatuba da CPTM, Avenida Miguel Yunes e Parque do Povo.

Ceasa/Parque Villa-Lobos/Faria Lima: o trecho que sai de próximo ao Ceasa e vai até a Pedroso de Morais foi construído recentemente e ainda apresenta algumas obras. Já o trecho que vai da avenida Faria Lima até a Rua Amauri já fo entregue.

Ciclovia Rio Pinheiros
Ciclistas na Ciclovia Rio Pinheiros: novo trecho deve ser inaugurado até o fim do ano (Foto: Divulgação)

CICLOFAIXAS DE LAZER

Diferentes das ciclovias, que são permanentes, as ciclofaixas de lazer operam aos domingos e feriados nacionais, das 7 às 16h. Deixe o carro em casa! Há muitas estações do Metrô e da CPTM próximas à ciclofaixa.

Linha 1 – Azul: Parada Inglesa e Carandiru (Ciclofaixa Zona Norte); Luz, São Bento, Sé, Liberdade, São Joaquim, Vergueiro, Paraíso, Ana Rosa, Vila Mariana, Santa Cruz, Praça da Árvore, Saúde, São Judas.

Linha 2 – Verde: Consolação, Trianon-Masp, Brigadeiro, Paraíso, Ana Rosa.

Linha 3 – Vermelha: República, Anhangabaú; Artur Alvim (Ciclofaixa Zona Leste).

Linha 4 – Amarela: Luz, República, Paulista, Butantã.

Linha 9 – Esmeralda: Cidade Universitária, Cidade Jardim, Vila Olímpia, Berrini, Autódromo. E nas estações Santo Amaro e Jurubatuba há acesso à Ciclovia Rio Pinheiros.

Fonte: VEJA SÃO PAULO