Meu Bairro

25 motivos para amar a Pompeia

A região que nasceu como vila operária ganhou atrações como centros de compra, bares e uma vida cultural animada. Confira as melhores dicas

Por: VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Antiga vila operária, a região da Zona Oeste atraiu diversos imigrantes que ofereceram sua mão de obra a empresas como a Companhia Melhoramentos e as Indústrias Matarazzo. Essas pessoas ajudaram a povoar o local, que deixou de ser meio rural para se tornar um conjunto de loteamentos, batizado como Villa Pompeia. Hoje, o bairro mantém certo ar provinciano, mas também abriga bares e restaurantes badalados. Confira um roteiro com 25 dicas para aproveitar melhor o passeio por lá.

1. Arborizado, o bairro possui diversas praças onde moradores passeiam com seus animais e jovens se reúnem. O clima tranquilo de alguns lugares lembra o de cidades do interior.

2. Uma delas é a Praça da Nascente (Homero Silva), rebatizada pelo coletivo Ocupe & Abrace, que, engajado nas causas do bairro, se une a outros grupos urbanos para organizar eventos e ações na tentativa de revitalizar o lugar. O nome remete às várias nascentes de rios presentes por ali. Uma delas serve para regar uma horta comunitária. 

3. Em dia de sol, vale a pena sentar em uma das mesinhas do tradicional Pé pra Fora, ali perto da praça. Ou, para os adeptos ou simpatizantes do vegetarianismo, aproveitar o bufê do restaurante Alcaparra.

Pé pra Fora
Pé pra Fora: barzinho tem mais de 40 anos de história (Foto: Divulgação)

+ Endereços para se dar bem durante o Restaurant Week

+ Artista quer colocar trampolins e bichos infláveis no Rio Pinheiros

4. Parte do calendário oficial da cidade de São Paulo, a Feira de Artes da Vila Pompeia ocorre todos os anos na rua, com música, dança, artesanato, atividades infantis, comida e outras atrações gratuitas. 

5. O evento é organizado pelo Centro Cultural Pompeia, um espaço que promove em outubro uma festa para celebrar o 104º aniversário do bairro. O encerramento, no dia 11, será realizado durante a 9ª edição do evento Deu Jazz na Pompeia, um festival de música que rola na rua.

6. As apresentações musicais se darão ao lado do Tiro Liro Bar, emprendimento familiar com boa comida e bebida, frequentado pelo cartunista Paulo Caruso.

7. Um passeio sem rumo pelo bairro é a melhor pedida para conhecer sua história. Há muitas vilinhas na região, que remetem à época dos loteamentos. 

8. Também é possível apreciar obras de grafite, como as que se encontram nos colégios Miss Browne (Rua Padre Chico, 102) e Santos Dummond (Rua Diana, 250), feitas durante a Mostra de Graffiti e Artes da Vila Pompeia 2014. Também há um belo mural na rua  Dr. Augusto de Miranda, 835.

9. Para quem gosta de arte, outra atração é a Galeria Ornitorrinco, especializada em ilustrações.

Galeria Ornitorrinco
Galeria Ornitorrinco: especializada em ilustrações (Foto: Divulgação)

10. O Sesc Pompeia, fundado em 1982, também faz lembrar o período de industrialização, já que a arquiteta Lina Bo Bardi manteve a estrutura original da antiga fábrica de tambores que ali funcionava na década de 1930. Hoje, sempre há algum show bacana na sua famosa choperia. Além de uma extensa programação de teatro, dança, exposição e outras atividades. 

11. Vale o passeio na sede da companhia Núcleo Bartolomeu de Depoimentos. Lá, além das apresentações teatrais, o grupo realiza eventos que envolvem diversas linguagens culturais, como os campeonatos de poesia falada e as oficinas de hip-hop.

12. Outro espaço teatral pelas redondezas é o Espaço Mínimo, sede dos grupos ExCompanhia de Teatro, Via Certa Teatral e Caxote Coletivo.

13. Na mesma rua, o Dita Cabrita é uma ótima pedida para um jantar romântico, no fim de semana. 

14. Para compras, há o Shopping Bourbon, que tem entre as opções de restaurantes uma unidade do Outback. Além de um concorrido complexo de salas de cinema, o  Espaço Itaú de Cinema, com sala 3D e Imax, e o Teatro Bradesco

15. Ali perto, há o imponente Allianz Parque, cujas obras estão sendo finalizadas. A nova casa do Palmeiras deve receber, além de partidas de futebol, grandes shows e festivais. A agremiação conta também com um clube, onde sócios aproveitam as quadras e as piscinas, principalmente aos fins de semana.

+ Onde provar guloseimas com Nutella

+ 25 Motivos para amar o Ipiranga

16. Outras opções de lazer na região têm endereço certo: Casa de Pedra, Playball Pompeia e Bahrem Pompeia Snooker.

17. Para tomar um lanche a qualquer hora do dia (menos das 22h de domingo até 6h de segunda) ou aproveitar um farto bufê, a Dona Deôla é um dos pontos preferidos dos moradores. A casa concorrre na categoria Padaria da edição especial do "Comer & Beber" da VEJA SÃO PAULO.

18. Se a ideia for comer pizza, o Galpão da Pizza é uma boa pedida, com coberturas clássicas, como a portuguesa, e outras mais inovadoras, a exemplo da que leva linguiça de javali e alho-poró. O restaurante concorre na categoria Pizzaria na edição especial de "Comer & Beber"

19. Um passeio pela Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Pompeia nos faz retornar às origens do bairro. Registros indicam que o casal Cláudio de Sousa e Luiza Leite de Souza tinham uma filha doente e, durante uma viagem à cidade de Pompeia, na Itália, pediram à padroeira para que curasse a menina. A graça foi alcançada e os pais mandaram erguer uma pequena capela. Foi nos entornos da construção que começou a crescer o bairro que, em 1922, recebeu os padres e religiosos camilianos.

20. Foi também na região da Pompeia que surgiu a primeira escola de samba de São Paulo, na década de 1930, a Primeira de São Paulo. E por muitos anos, o bairro abrigou a Águia de Ouro, nascida em 1976 na vizinha Vila Anglo Brasileira. Desde 2011, a escola tem sede na Marginal Tietê.

21. O bairro tem a importância de ser o berço de várias bandas de rock, como Os Mutantes, Tutti Frutti e Made in Brazil. 

22. O rock está presente também, até hoje, no Garage Estudio Bar, um lugar de ensaios e pequenas apresentações.

23. Quem gosta do estilo musical também pode se divertir no Milo Garage, que tem suas noites focadas no hip-hop e no rock.

Milo Garage
Milo Garage: noitada animada (Foto: Raul Zito)

24. Depois da balada, são vários os jovens que se encontram na Lanchonete Souza, que funciona 24 horas por dia.

25. Para um prato mais elaborado, há o Killa Novoandino e a La Petite - Mercearia do Francês. Já para beber bons drinques e chopes na região, há vários bares, como o Velho Rabo, Desembargador e Boteco São Paulo. Para adoçar, o S.O.S Cupcakes.

Fonte: VEJA SÃO PAULO