Transporte

Dez curiosidades sobre o monotrilho que abre neste sábado

Trens percorrerão, inicialmente, percurso de 2,9 quilômetros, entre as estações Vila Prudente e Oratório. Via completa somará 26,6 quilômetros

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Trem do monotrilho de São Paulo - Divulgação
Novos trens do Monotrilho: sete carros e capacidade para 1 000 passageiros cada (Foto: Divulgação)

Neste sábado (30), deve ser inaugurado o primeiro trecho do monotrilho, a linha 15-Prata do Metrô. O sistema ainda é limitado a 2,9 quilômetros, com percurso entre Vila Prudente e Orátório. Ao fim das obras, o caminho ligará as estações Ipiranga (linha 2-Verde) e Cidade de Tiradentes, em mais de 26 quilômetros de via.

Inicialmente, o horário de operação será restrito: sábados e domingos, das 10h às 15h. Durante o período chamado de "visitação controlada", não haverá cobrança de passagem. Serão 60 dias de teste até o início da operação comercial.

+ 25 motivos para amar a Avenida Paulista

O monotrilho estava previsto para entrar em operação antes da Copa do Mundo, mas, após seguidos adiamentos, acabou ficando de fora do torneio, realizado entre junho e julho. O projeto é tocado pelo Consórcio Expresso Monotrilho Leste, liderado pela construtora Queiroz Galvão, integrando a construtora OAS e a Bombardier.

Esta é a primeira das três fases de inauguração da linhas. Somente em 2018 serão concluídas todas as obras. Confira abaixo algumas curiosidades e características do novo meio de transporte do paulistano.

+ Moradores dos Jardins são os que menos economizam água

Vista interna da Estação Oratório do Monotrilho - Divulgação Marcos A
Estação Oratório estará aberta de graça durante 60 dias (Foto: Divulgação / Marcos A. Silva)

10 CURIOSIDADES SOBRE A LINHA 15 - PRATA DO MONOTRILHO

1) Quando o ramal estiver completo, terá 26,6 quilômetros de comprimento e 18 estações: Ipiranga, Vila Prudente, Oratório, São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstoi, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta, São Mateus, Iguatemi, Jequiriçá, Jacu-Pessego, Érico Semer, Márcio Beck, Cidade Tiradentes e Hospital Cidade Tiradentes. O valor total de investimento é de 6,4 bilhões de reais.

2) Cada uma das estações elevadas fica até 15 metros do chão e medem 90 metros de extensão. Todas possuem elevadores para portadores de necessidades especiais.

3) A nova linha pretende beneficiar mais de 520 000 passageiros por dia. São 40 000 por hora em cada sentido, com possibilidade de chegar a 48 000 com a estrutura completa.

4) A estimativa do Metrô de São Paulo é que os usuários façam o percurso de ponta a ponta em cerca de 50 minutos. Atualmente, com outros meios de transporte, a média estimada pela empresa para o tempo gasto entre os destinos finais é de duas horas.

5) Apesar de chamar Linha 15-Prata, esta será a sexta linha do Metrô de São Paulo. Já estão em funcionamento a Linha 1-Azul, Linha 2-Verde, Linha 3-Vermelha, Linha 4-Amarela e Linha  5-Lilás. O motivo é simples: todo o planejamento da malha de metrô de São Paulo já está pronto, mesmo com linhas que ainda não saíram do papel. Essa seria a de número 15. O nome Prata serve para diferenciar as linhas de metrô das de monotrilho.

6) Os trens são do tipo INNOVIA Monotrilho 300. Cada composição, com capacidade para transportar 1 000 passageiros, terá sete carros. São 86 metros de comprimento ao todo. Sua velocidade máxima de circulação pode chegar a 80 km/h. A mínima é de 35 km/h.

7) Os carros são feitos com liga de alumínio, com desenho aerodinâmico inspirado em aeronaves. Os trens possuem tração elétrica e sustentação por pneus fabricados com a mesma tecnologia dos usados em aviões. Eles se deslocam sobre vigas de 69 centímetros de largura. Além de sistema de ar-condicionado, os carros são interligados, têm operação automática (sem a necessidade de operador no veículo) e sistema de câmeras de monitoramento.

8) Com as laterais desguarnecidas, o resgate em casos de emergência deve contar com auxílio do Corpo de Bombeiros. Na última quinta-feira (28), uma simulação de acidente foi feita na Avenida Anhaia Mello. Usando um caminhão com escadas para chegar à altura dos trilhos, a equipe simulou o resgate a passageiros passando mal e a evacuação de passageiros em caso de pane operacional.

9) O Metrô promete aproveitar a estrutura suspensa para "renovar o espaço urbano" abaixo dos trens. A ideia é dar cerca de 6 000 novas árvores para a Zona Leste.

10) Também será inaugurada uma ciclovia sob o elevado. A partir de hoje, estarão disponíveis 2,4 quilômetros de pistas exclusivas para bicicletas. No futuro, serão 26,6 quilômetros de extensão, de Ipiranga até Hospital Cidade Tiradentes.

Fonte: VEJA SÃO PAULO