Maremonti Trattoria & Pizza – Jardins (Desde 2011)

Tipos de Restaurantes: Italianos, Pizzarias
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Padre João Manuel, 1160 - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 30881160
Horário:
segunda-feira
12:00 - 15:30 - 18:00 - Último cliente
terça-feira
12:00 - 15:30 - 18:00 - Último cliente
quarta-feira
12:00 - 15:30 - 18:00 - Último cliente
quinta-feira
12:00 - 15:30 - 18:00 - Último cliente
sexta-feira
12:00 - 15:30 - 18:00 - Último cliente
sábado
12:00 - Último cliente
domingo
12:00 - Último cliente
monetization_on

Faixa de preço

De R$71.00 a R$105.00

payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: American Express, Diners, Mastercard e Visa
Cartões de dédito: Maestro, Rede Shop e Visa Electron

check_circle

Informações adicionais

Entrega em domicílio ((11) 3085-1160) (1), Estacionamento/Valet (R$ 20.00) (2), Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (170), Comida (couvert) (R$ 9.00), Levar vinhos (permite) (R$ 50.00)

(1)somente no jantar, (2)R$ 15,00 no almoço de segunda a sexta e R$ 20,00 nos demais horários

Resenha por Arnaldo Lorençato e Helena Galante

Originalmente uma pizzaria, a rede Maremonti ampliou signifcativamente o horizonte de seu cardápio depois que foi comprada pelo empresário Arri Coser, eleito o restaurateur do ano em 2014. Na faceta trattoria, apresenta massas caprichadas, como a clássica lasanha à bolonhesa (R$ 63,00), em uma versão parecida com a que se come na Itália. Se solicitada em tamanho-família, para três pessoas, o preço sobe para R$ 102,00. Outro prato inspirado, o peixe à siciliana (R$ 74,00) é a pescada-amarela em um molho de tomate enriquecido por azeitona preta e alcaparra na companhia do risoto de arroz negro. As pizzas incluem pedidas como o disco com o nome da casa (lâminas de abobrinha e berinjela mais radicchio e cogumelo shiitake sobre mussarela e parmesão; R$ 91,00) e o delicioso paris (queijo brie, cogumelo-de-paris e presunto cru; R$ 94,00). Ao estilo napolitano clássico com massa mais elástica e macia, certificada pela Associazione Pizzaiuoli Napoletani (APN), prove a ótima margherita individual (R$ 56,00). Sobrou espaço para um doce nada italiano? Peça a tarte tatin (R$ 28,00) com sorvete de creme.

Preços checados em 10 de fevereiro de 2016.

    Comer e beber

    • 2015 - Participante

      Restaurantes italianos (cantina) Comer & Beber

      Originalmente uma pizzaria, a rede Maremonti ampliou signifcativamente o horizonte de seu cardápio depois que foi comprada pelo empresário Arri Coser, eleito o restaurateur do ano em 2014. Na faceta trattoria, apresenta massas caprichadas, como a clássica lasanha à bolonhesa (R$ 59,00), em uma versão parecida com a que se come na Itália. Outro prato inspirado, o peixe à siciliana (R$ 69,00) é a pescada-amarela em um molho de tomate enriquecido por azeitona preta e alcaparra na companhia do risoto de arroz negro. As pizzas incluem pedidas como o disco com o nome da casa (lâminas de abobrinha e berinjela mais radicchio e cogumelo shiitake sobre mussarela e parmesão; R$ 78,00) e o delicioso paris (queijo brie, cogumelo-depa ris e presunto cru; R$ 85,00). Ao estilo napolitano clássico com massa mais elástica e macia, certificada pela Associazione Pizzaiuoli Napoletani (APN), prove a ótima margherita individual (R$ 53,00). Sobrou espaço para um doce nada italiano? Peça a tarte tatin (R$ 26,00) com sorvete de creme. (Preços checados em setembro/outubro de 2015.)

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Participante

      Restaurantes pizzarias Comer & Beber

      Passou por uma transformação significativa com a saída do sócio Ricardo Trevisani, hoje dedicado ao Loi Ristorantino, e a entrada do empresário Arri Coser, cabeça também da rede de rodízios de carne NB Steak e eleito o restaurateur do ano. Junto com Juscelino Pereira, do Piselli, Coser vem imprimindo um ritmo forte de multiplicação da rede de pizzarias: à casa pioneira nos Jardins vêm se somar as filiais no Campo Belo e da Vila Olímpia, esta com previsão de abertura até o fim deste mês. O cardápio não passou por significativas mudanças, e suas melhores opções se concentram nas versões individuais de estilo napolitano, feitas em tamanho individual e com uma receita orientada por Antonio Starita, da Associazione Pizzaiuoli Napoletani (APN). A marinara (R$ 43,00), apesar de o nome remeter a frutos do mar, leva apenas alho e molho de tomate importado, e é uma delicia. Nas pizzas mais modernas do menu convencional, as coberturas quase sempre vêm em quantidade exagerada. Uma das melhores combina queijo brie, rúcula e pinhole (R$ 69,00). A de gorgonzola e calabresa (R$ 69,00) satisfaz apenas quem gosta de sabores marcantes. Tanto no almoço como no jantar, funciona como trattoria, servindo massas e outras sugestões italianas. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Vencedor

      Restaurantes restaurateur Comer & Beber

      Foi por pouco tempo que o gaúcho Arri Coser conseguiu ficar longe dos negócios da gastronomia. O restaurateur, que surpreendeu o mercado ao vender em 2011 sua participação na bem-sucedida cadeia de rodízios Fogo de Chão para um fundo de investimentos, voltou com grande apetite ao ramo. Primeiro, ele lançou, em 2013, o NB Steak, restaurante que reinventa o rodízio ao tirar de cena o bufê de antepastos e praticamente extinguir os espetos que giram pelo salão — no lugar, usam-se travessas brancas de  porcelana para servir cortes nobres. Já são seis unidades da churrascaria, metade delas aqui na capital. Depois, foi a vez de associar-se à Maremonti, rede de pizzarias que, com sua administração, começou a funcionar também como cantina moderninha no início de outubro e mudou o nome para  Maremonti Trattoria & Pizza. A expansão não para. Às sete lojas existentes, três delas na cidade, virá se somar a oitava, com previsão de inauguração até o fim do mês, na Faria Lima. Para que tudo tenha funcionamento  uniforme, Coser adota uma rigorosa padronização em todas as casas, que vai dos ingredientes aos talheres, sem esquecer os detalhes da decoração. “Evito erros porque não posso estar em todos os lugares ao mesmo tempo”,  afirma. Para isso, conta com o braço-direito: o chef Pascal Valero, ex-titular de casas refinadas como o Eau, no Hotel Grand Hyatt, e o Kaá, no Itaim.  Coser, um potente multiprocessador de investimentos que quase sempre evita falar em números, conta que cada unidade da Maremonti requer cerca de 2,5 milhões de reais para sair do papel. Mais caros, os NB Steak consomem individualmente 3,5 milhões de reais. “Calculo o retorno entre cinco e sete anos”, diz. Embora tenha sócios como Juscelino Pereira (na Maremonti) e o fundo BR Opportunities, as duas redes fazem parte da holding AC Invest, encabeçada por ele. De seu escritório paulistano no Brooklin, o chefão de 52 anos controla tudo.

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Vencedor

      Votação popular - restaurantes restaurateur Comer & Beber

      Foi por pouco tempo que o gaúcho Arri Coser conseguiu ficar longe dos negócios da gastronomia. O restaurateur, que surpreendeu o mercado ao vender em 2011 sua participação na bem-sucedida cadeia de rodízios Fogo de Chão para um fundo de investimentos, voltou com grande apetite ao ramo. Primeiro, ele lançou, em 2013, o NB Steak, restaurante que reinventa o rodízio ao tirar de cena o bufê de antepastos e praticamente extinguir os espetos que giram pelo salão — no lugar, usam-se travessas brancas de  porcelana para servir cortes nobres. Já são seis unidades da churrascaria, metade delas aqui na capital. Depois, foi a vez de associar-se à Maremonti, rede de pizzarias que, com sua administração, começou a funcionar também como cantina moderninha no início de outubro e mudou o nome para  Maremonti Trattoria & Pizza. A expansão não para. Às sete lojas existentes, três delas na cidade, virá se somar a oitava, com previsão de inauguração até o fim do mês, na Faria Lima. Para que tudo tenha funcionamento  uniforme, Coser adota uma rigorosa padronização em todas as casas, que vai dos ingredientes aos talheres, sem esquecer os detalhes da decoração. “Evito erros porque não posso estar em todos os lugares ao mesmo tempo”,  afirma. Para isso, conta com o braço-direito: o chef Pascal Valero, ex-titular de casas refinadas como o Eau, no Hotel Grand Hyatt, e o Kaá, no Itaim.  Coser, um potente multiprocessador de investimentos que quase sempre evita falar em números, conta que cada unidade da Maremonti requer cerca de 2,5 milhões de reais para sair do papel. Mais caros, os NB Steak consomem individualmente 3,5 milhões de reais. “Calculo o retorno entre cinco e sete anos”, diz. Embora tenha sócios como Juscelino Pereira (na Maremonti) e o fundo BR Opportunities, as duas redes fazem parte da holding AC Invest, encabeçada por ele. De seu escritório paulistano no Brooklin, o chefão de 52 anos controla tudo.

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes pizzarias Comer & Beber

      No ano passado, a qualidade das sugestões levou a casa dos restaurateurs Juscelino Pereira e Ricardo Trevisani ao pódio da edição especial “Comer & Beber”, apenas onze meses depois de sua inauguração. Contribuíram para a vitória as quatro pizzas individuais certificadas pela entidade italiana Associazione Pizzaiuoli Napoletani (APN). Continua entre as melhores a margherita com bastante molho de tomate, mussarela de búfala e folhinhas de manjericão (R$ 46,00) sobre a massa mais elástica. Entre as versões tradicionalmente paulistanas, também assadas pelo pizzaiolo Marcelo Oliveira, estão a picante (linguiça calabresa ardida sobre mussarela) e melanzane (mussarela e berinjela grelhada ao alho salpicadas de parmesão). Cada uma delas custa R$ 61,00. Desde abril, o chef Alessandro Oliveira é o novo titular da cozinha e responde pelos pratos do cardápio. Ele prepara receitas como nhoque recheado com queijo brie e mussarela ao molho de tomate finalizado no forno a lenha (R$ 49,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Vencedor

      Restaurantes pizzarias Comer & Beber

      Sucesso de público desde a inauguração, em 2011, a casa dos restaurateurs Juscelino Pereira e Ricardo Trevisani, entre outros sócios, recebe o reconhecimento dos especialistas. Em apenas onze meses de funcionamento, foi eleita a número 1 da cidade pelo júri do “Comer & Beber”. Desbanca, assim, a Bráz, que coleciona oito títulos. Sobram motivos para a vitória, a começar pela seleção de antepastos (quatro opções). Das coberturas, escale a versão de cogumelos porcini frescos, queijo stracchino e molho de tomate. Responsável pelos fornos, o cearense Raimundo Nascimento fez um aperfeiçoamento em Nápoles, orientado por Antonio Starita, da Associazione Pizzaiuoli Napoletani (APN). No menu, há quatro versões individuais certificadas pela entidade italiana. A occhio di bue leva queijo stracchino, dois ovos estrelados e aroma de trufas. Entre os rótulos italianos oferecidos pelo sommelier Jonas de Souza Araújo, está o tinto Paiara 2009.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe uma resposta

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s