Kinoshita (Desde 2008)

Tipos de Restaurantes: Japoneses
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Jacques Félix, 405 - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 38496940
Horário:
segunda-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
terça-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
quarta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
quinta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
sexta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
sábado
12:00 - 16:00 - 19:00 - 00:00
domingo
Fechado
payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de dédito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Estacionamento/Valet (R$ 20,00), Lugares/Capacidade total (72)

Resenha por Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

Entre os expoentes da categoria, o restaurante comandado pelo chef Tsuyoshi Murakami oferece pequenos (e caros) bocados da culinária japonesa. Com dez fatias de atum, buri, salmão, namorado e serra, o sashimi matsu sai por R$ 74,00. Já a versão pequena de bem montados sushis, com nove unidades, custa R$ 89,00. Antes empanado na farinha panko e agora servido como um tempurá bem levinho, o ebi fry (R$ 76,00) traz deliciosos pedaços de camarão frito — a porção diminuta dá vontade de pedir bis. Sem acompanhamento incluso, a barriga de salmão marinada por três dias no missô (R$ 55,00) é finalizada por raspas de limão. Antigo no cardápio, o choco moti (R$ 30,00) é a melhor sobremesa. Trata-se de uma dupla de bolinhas à base de arroz recheadas de chocolate belga e servida com sorvete.

Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Comer e beber

    • 2015 - Participante

      Restaurantes japoneses Comer & Beber

      Quando abriu esta casa com o restaurateur Marcelo Fernandes usando o mesmo nome de outra que pertencia à sua família na Liberdade, o chef Tsuyoshi Murakami causou comoção. Repetia ali alguns pratos que fazia com brilho no endereço anterior, assim como bem-vindas novidades. Com o passar dos anos, porém, ele deixou de impressionar. O Kinoshita continua um bom restaurante, mas sem a excelência de um passado recente. Na primeira página do caro cardápio estão registradas as últimas receitas lançadas, seja pelo próprio Murakami, seja por um de seus cozinheiros. Entre as mais novas está o sashimi de salmão curado com pepino e shissô mais saboroso após a adição de shoyu (R$ 50,00). Ovas do próprio peixe reforçam o colorido. Bem temperada, a pancetta se tornaria mais atraente se fosse à mesa quase fria (R$ 65,00). Também tem problema de temperatura a morna costeleta de cordeiro ao molho teriyaki (R$ 83,00). Uma das ótimas pedidas é o lámen fresco com ovo orgânico e pancetta mais um toque picante (R$ 50,00). Como chega pelando, recomenda-se que se coma como os orientais: assoprando a sopa e por isso fazendo algum barulho de satisfação. Arremate com a tentadora torta de maçã enfeitada por gengibre e acompanhada de sorvete de canela (R$ 28,00). Durante a semana no almoço, há menu executivo com preços de R$ 55,00 a R$ 72,00. (Preços checados em setembro/outubro de 2015.)

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Participante

      Restaurantes japoneses Comer & Beber

      Além de elaborar sushis com arroz de primeira qualidade e tempero na medida, o chef e sócio Tsuyoshi Murakami está sempre em busca de lançar receitas preparadas no fogão. O ague dashi dofu to unagui (R$ 49,00) combina pedaços de tofu dourados por fora e bem sequinhos com lasca de enguia igualmente bronzeada. Especialidade fria, o delicioso maguro onsen tamagô (R$ 40,00) reúne cubos de atum com ovo de gema cremosa cozido em baixa temperatura. Das três opções de macarrão, o nihon soba (R$ 48,00) é o espaguete oriental de trigo-sarraceno em versão vegetariana com umeboshi, a ameixa típica, e natto, o grão de soja fermentada. Outra pedida, o tonkatsu don (R$ 65,00) tem a forma de uma pancetta empanada ao molho teriyaki com gema de ovo. Faz um dos melhores almoços executivos da cidade. A versão que custa R$ 49,00 inclui um trio de sushis e pratos do dia como as tiras de gado wagyu salteadas com um ótimo chuchu firme e adocicado. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes japoneses Comer & Beber

      É um dos mais refinados representantes de sua categoria. Tanto que foi o campeão por três vezes consecutivas no “Comer & Beber”, a última delas no ano passado. O cardápio, renovado periodicamente, tem pratos preparados pelo chef e sócio Tsuyoshi Murakami e por sua equipe de auxiliares. São receitas mais expressivas entradas como as vieiras na forma de um ceviche clássico (R$ 35,00) e o ótimo figo ao molho cremoso de mascarpone ao missô (R$ 27,00). Também agrada o ovo orgânico com enguia grelhada e aspargo (R$ 34,00). Dos pratos principais, o mais curioso é a mãozinha de porco de textura bem gelatinosa num caldo levemente picante servido com mostarda forte (R$ 40,00). A casa mantém um atraente menu executivo por R$ 49,00. Fique de olho: embora bem montada, a cara carta de vinhos não tem nenhuma garrafa abaixo dos três dígitos. (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Vencedor

      Restaurantes japoneses Comer & Beber

      Não se surpreenda se em uma noite dessas encontrar Tsuyoshi Murakami, com seu timbre de barítono, entoando My Way e outros sucessos gravados pelo ídolo, Frank Sinatra. É assim desde os tempos em que trabalhava no primeiro Kinoshita, um lugar simplíssimo que funcionava na Liberdade. O chef, sócio do restaurateur Marcelo Fernandes, recebe os clientes de maneira acolhedora e os brinda com ótimas receitas. Foi justamente a qualidade de suas sugestões, incluídas em um cardápio renovado constantemente, que levou o restaurante à terceira vitória consecutiva. Ao consultar a bem-composta e cara carta de vinhos, escolha o argentino Terrazas Reserva Chardonnay 2010. Em seguida, peça de entrada o sashimi de atum. De paladar formidável, ele é transformado em um rolinho recheado de wassabi — a raiz-forte oriental, aqui com um toque de pimenta — e cogumelo portobello. Da cozinha quente também chegam delícias, entre elas o tempurá de peixe branco ao molho cremoso de missô. Aparentemente trivial, a sobrecoxa de frango grelhada no caldo cítrico com shoyu ganha status de iguaria nas mãos de Murakami. O ravióli de lâminas de manga fresca recheado de creme de yuzu na companhia de sorbet de abacaxi, incluído entre as sobremesas, soa como música ao paladar. Que o chef continue cantando.

      Veja SP

    • 2011 - Vencedor

      Restaurantes restaurateur Comer & Beber

      Pelo segundo ano consecutivo, o restaurante capitaneado por Tsuyoshi Murakami, que tem como sócio Marcelo Fernandes, eleito restaurateur do ano, leva o título de melhor de sua categoria. Esse reconhecimento coroa o trabalho desenvolvido pelo empresário e pelo chef, que se dedica a uma renovação constante do cardápio, no qual se mesclam receitas clássicas e algumas bem-sucedidas invenções. Não pode ser mais delicada a berinjela envolta em uma capa de katsuobushi, os flocos de peixe bonito. Ainda na lista de entradas, o tamagô dofu é um tofu de ovos semelhante a um flã cozido no dashi, o caldo de peixe. O alho negro dá um toque especial ao sashimi de carapau. Difícil escolher entre pratos principais como o robalo cozido em baixa temperatura no dashi, discretamente incrementado por cogumelos e alho-poró, e o inusitado hambúrguer de kobe beef com lâminas de foie gras, criação de Murakami. Para arrematar a refeição, prove yokan preparado quase sem açúcar e combinado a dulcíssimas frutas frescas pela mulher do cozinheiro, Suzana. O chef — que às vezes se mostra extrovertido demais diante dos clientes — elabora dois menus degustação. Na carta de bebidas encontram-se bons saquês e vinhos de qualidade, caso do espanhol José Pariente Varietal Verdejo 2009.

      Veja SP

    • 2011 - Vencedor

      Restaurantes japoneses Comer & Beber

      Pelo segundo ano consecutivo, o restaurante capitaneado por Tsuyoshi Murakami, que tem como sócio Marcelo Fernandes, eleito restaurateur do ano, leva o título de melhor de sua categoria. Esse reconhecimento coroa o trabalho desenvolvido pelo empresário e pelo chef, que se dedica a uma renovação constante do cardápio, no qual se mesclam receitas clássicas e algumas bem-sucedidas invenções. Não pode ser mais delicada a berinjela envolta em uma capa de katsuobushi, os flocos de peixe bonito. Ainda na lista de entradas, o tamagô dofu é um tofu de ovos semelhante a um flã cozido no dashi, o caldo de peixe. O alho negro dá um toque especial ao sashimi de carapau. Difícil escolher entre pratos principais como o robalo cozido em baixa temperatura no dashi, discretamente incrementado por cogumelos e alho-poró, e o inusitado hambúrguer de kobe beef com lâminas de foie gras, criação de Murakami. Para arrematar a refeição, prove yokan preparado quase sem açúcar e combinado a dulcíssimas frutas frescas pela mulher do cozinheiro, Suzana. O chef — que às vezes se mostra extrovertido demais diante dos clientes — elabora dois menus degustação. Na carta de bebidas encontram-se bons saquês e vinhos de qualidade, caso do espanhol José Pariente Varietal Verdejo 2009.

      Veja SP

    • 2010 - Vencedor

      Restaurantes japoneses Comer & Beber

      Adepto da cozinha autoral, o japonês Tsuyoshi Murakami está à frente de uma equipe afinada. O chef e seus auxiliares apresentam receitas que mesclam tradição e modernidade. Formidáveis, essas sugestões renderam ao restaurante o título de melhor de sua categoria neste ano. Entre as coloridas entradas, incitam a gula o aspargo com cebolinha e gengibre ao molho de missô na pasta de alho negro; o tomate japonês momotaro, de sabor adocicado, numa harmoniosa fusão ao katsuobushi (flocos secos e defumados de peixe bonito) e ao cogumelo portobello confitado; as ovas de tainha mornas ao tempero de raiz-forte fresca; e a terrine de enguia ao foie gras. Não menos expressivos são os pratos quentes como a carnuda pancetta de pele crocante ao molho de shoyu, manteiga e limão e o tempura de legumes envolto em um delicado véu de farinha. Quem não resiste ao sushi deve pedir um par de toro (atum gordo). O arroz tem cozimento impecável e o peixe fresco, de tão untuoso, parece dissolver-se na boca. Arremata a refeição o delicioso bolinho de chocolate sem farinha escoltado por lichia recheada de ganache de chocolate branco e pudim de chá-verde. Há também três menus degustação. Para conhecer melhor a boa seleção de saquês, consulte a especialista Yasmin Yonashiro. A boa carta de vinhos lista rótulos como o francês Aligoté Michel Picard 2005, produzido na Borgonha.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s