ChefVivi (Desde 2011)

Tipos de Restaurantes: Cozinha variada
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Girassol, 833 - Vila Madalena - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 30310079
Horário:
segunda-feira
Fechado
terça-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:30
quarta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:30
quinta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
sexta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
sábado
13:00 - 16:00 - 20:00 - 00:00
domingo
13:00 - 17:00
Nos feriados funciona das 13h às 16h e das 20h à 0h.
monetization_on

Faixa de preço

De R$131,00 a R$220,00

payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de dédito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Estacionamento/Valet (Gratuito) (1), Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (33), Comida (couvert) (R$ 15,00), Levar vinhos (permite) (R$ 35,00)

(1)no jantar e aos domingos

Resenha por Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

Com grande sensibilidade para perceber tendências e imprimir sutilezas aos pratos para agradar à clientela, a chef Viviane Gonçalves desliza justamente em detalhes do seu último menu degustação proposto (R$ 180,00). Uma das entradas traz um pedaço tão grande de queijo da fgueira, vindo da Fazenda Atalaia, que nem as cenouras quase cruas ou o mel evitam que o sabor fque enjoativo. No creme de ervilha fresca (R$ 44,00), a salsa de pimenta dedo-de-moça e as raspas de limão-siciliano garantem o sabor fresco. Na lista de acertos, torça para o cardápio rotativo incluir o ótimo pato conftado com couve-for, abóbora e redução de laranja (R$ 69,50) e um bolo quente de tâmara com açúcar mascavo e caramelo (R$ 21,00) de raspar o prato.

Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Comer e beber

    • 2016 - Participante

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Com grande sensibilidade para perceber tendências e imprimir sutilezas aos pratos para agradar à clientela, a chef Viviane Gonçalves desliza justamente em detalhes do seu último menu degustação proposto (R$ 180,00). Uma das entradas traz um pedaço tão grande de queijo da fgueira, vindo da Fazenda Atalaia, que nem as cenouras quase cruas ou o mel evitam que o sabor fque enjoativo. No creme de ervilha fresca (R$ 44,00), a salsa de pimenta dedo-de-moça e as raspas de limão-siciliano garantem o sabor fresco. Na lista de acertos, torça para o cardápio rotativo incluir o ótimo pato conftado com couve-for, abóbora e redução de laranja (R$ 69,50) e um bolo quente de tâmara com açúcar mascavo e caramelo (R$ 21,00) de raspar o prato. (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Participante

      Comer & Beber .

      Da rua se avista o charmoso e minúsculo salão, onde Viviane Gonçalves rege a cozinha igualmente separada desse ambiente por janelas envidraçadas. Pena que alguns dos pratos sugeridos pela chef em seu menu não provoquem mais a mesma emoção que levaram o ChefVivi a ser premiado por duas vezes como o melhor de sua categoria. A seleção de receitas pode incluir, por exemplo, o peito de pato na redução de laranja com especiarias (R$ 74,00) servido rosado como tem de ser, mas não tão macio como é de se esperar. De pegada vegetariana, o creme de cebola-roxa ao molho de salsinha com queijo queimado no maçarico (R$ 39,50) é deliciosamente denso. Outra sugestão bem-vinda, o beijupirá de pele queimadinha recebe molho de lagostim que lembra uma bisque com batata asterix e espinafre salteado (R$ 76,00). As sobremesas, servidas no quarteto composto de torta de chocolate com base de castanha ao creme inglês, doce de leite com cristais de sal, cocada de branca e queimada e frutas tostada com queijo (R$ 27,00), fazem do arremate uma festa. Quem optar pela degustação paga R$ 150,00. Também há opções à la carte que mudam todos os dias. (Preços checados em setembro/outubro de 2015.)

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Vencedor

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Na cartilha de muitos profissionais, há alguns ingredientes certeiros para conferir nobreza a um prato. Um foie gras aqui, ovas aparentadas do caviar ali... Essas matérias-primas simplesmente não existem no restaurante de Viviane Gonçalves. Com vegetais, carnes e pescados selecionados — na maioria orgânicos, mas que poderiam estar na geladeira de qualquer pessoa —, ela faz receitas que beiram o sublime. E sem adicionar iguarias ou outros elementos considerados fogos de artifício na cozinha. Um exemplo é o levíssimo nhoque de batata banhado apenas por uma redução de beterraba (R$ 46,50). Não precisa de mais nada. Como o cardápio muda todos os dias, vez ou outra a chef prepara o mexilhão ao molho de vinho branco com azedinha, cebola-roxa, salsinha, ciboulette e tomate (R$ 47,50). Ainda do mar, a pescada-cambucu úmida com a pele dourada e crocante vem junto de purê de couve-flor e cenoura-roxa selada no azeite (R$ 66,00). O lagostim marcado no ferro tem a companhia de miniarroz integral e ora-pro-nóbis (R$ 52,00). Simples e saborosa, a costela bovina temperada apenas com flor de sal e também selada no azeite surge ao molho de vinho tinto e com um mix de vegetais grelhados (R$ 66,00). Como Viviane fica praticamente o tempo todo na frente do fogão, trabalhando com devoção, sua sócia Poliana de Sousa Santos Pinto cuida do atendimento. Pode até parecer antipática a exigência dela para reservas, mas, como se trata de um ambiente minúsculo e sem espaço para espera, dá para entender por que elas são necessárias. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Indicado

      Restaurantes chef do ano Comer & Beber .

      Na cartilha de muitos profissionais, há alguns ingredientes certeiros para conferir nobreza a um prato. Um foie gras aqui, ovas aparentadas do caviar ali... Essas matérias-primas simplesmente não existem no restaurante de Viviane Gonçalves. Com vegetais, carnes e pescados selecionados — na maioria orgânicos, mas que poderiam estar na geladeira de qualquer pessoa —, ela faz receitas que beiram o sublime. E sem adicionar iguarias ou outros elementos considerados fogos de artifício na cozinha. Um exemplo é o levíssimo nhoque de batata banhado apenas por uma redução de beterraba (R$ 46,50). Não precisa de mais nada. Como o cardápio muda todos os dias, vez ou outra a chef prepara o mexilhão ao molho de vinho branco com azedinha, cebola-roxa, salsinha, ciboulette e tomate (R$ 47,50). Ainda do mar, a pescada-cambucu úmida com a pele dourada e crocante vem junto de purê de couve-flor e cenoura-roxa selada no azeite (R$ 66,00). O lagostim marcado no ferro tem a companhia de miniarroz integral e ora-pro-nóbis (R$ 52,00). Simples e saborosa, a costela bovina temperada apenas com flor de sal e também selada no azeite surge ao molho de vinho tinto e com um mix de vegetais grelhados (R$ 66,00). Como Viviane fica praticamente o tempo todo na frente do fogão, trabalhando com devoção, sua sócia Poliana de Sousa Santos Pinto cuida do atendimento. Pode até parecer antipática a exigência dela para reservas, mas, como se trata de um ambiente minúsculo e sem espaço para espera, dá para entender por que elas são necessárias. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Vencedor

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Em poucos restaurantes da cidade se encontrará um cardápio tão personalizado quanto o do ChefVivi. Seu menu é uma espécie de impressão digital de Viviane Gonçalves, eleita no ano passado chef revelação por VEJA SÃO PAULO. Nele, não há espaço para a rotina: os pratos são, de fato, renovados todo dia. Trata-se de um processo que exige muito esforço de Viviane, paulista de São José dos Campos que foi uma das sócias do badalado restaurante Alameda, em Pequim. Ela não arreda pé do fogão e raramente sai de férias (“Tiro só uns dias”, costuma dizer). Viviane anota em um quadro na parede da cozinha o que servirá no almoço e no jantar do dia seguinte. Essas sugestões demoram a reaparecer. Se der sorte, você encontrará o polvo crocante com arroz negro, pimenta dedo-de-moça e brotos orgânicos (R$ 79,50). Repetição mesmo só na sobremesa, composta com frequência de uma degustação de musse de chocolate amargo, pavê de amêndoas, telha com espuma de coco e baba de moça e creme brûlé (R$ 25,00). Esse capricho também se vê no almoço executivo (R$ 44,00). Entre as entradas do meio-dia, deixa saudade a deliciosa bisque de camarão pequeno. Em tempo: como há poucos lugares na casa, é preciso reservar. (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Vencedor

      Restaurantes chef revelação Comer & Beber .

      Não existe rotina na cozinha de Viviane Gonçalves, paulista de São José dos Campos formada em gastronomia pela City of Bristol College, na Inglaterra. Desde que abriu o Chef Vivi, em novembro de 2011, na Vila Madalena, ela raramente repete um prato. A cada dia, esmera-se para criar um cardápio para o almoço e outro para o jantar, com duração de 24 horas. Quando dá o ar da graça, o carré de cordeiro ao forno aparece em fatias grossas e cheias de sabor. Exalam frescor os camarões grandes usados para coroar o linguine negro de tinta de lula. Essas constantes e prazerosas surpresas à mesa garantiram a Viviane, 44 anos, o título de chef revelação. Uma bela estreia para a cozinheira que foi sócia e responsável em Pequim pelos fogões do Alameda, premiado por três vezes o melhor representante de cozinha internacional da capital da China em concurso promovido pela revista That’s Beijing. De tão envolvida com o trabalho, a única escapada que deu para se divertir desde a inauguração do restaurante foi em julho de 2012, para ver um espetáculo de dança da companhia holandesa Nederlands Dans Theater, no Municipal. E ainda assim em um domingo à noite, quando o Chef Vivi não abre.

      Veja SP

    • 2012 - Indicado

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Minúsculo e com janelões de vidro voltados para a rua, o restaurante é palco para a paulista Viviane Gonçalves, eleita chef revelação, exibir seu talento. Não há cardápio fixo na cozinha da chef, ganhadora do título de revelação. Todas as noites, ela anota nos azulejos brancos da parede como será o cardápio do dia seguinte. Os pratos são preparados com ingredientes da estação ou o que há de melhor do mercado. Assim, vez ou outra pode haver atum grelhado na emulsão de limão e gengibre na companhia de cuscuz marroquino mais pak choi e carrê de cordeiro na redução de vinho tinto guarnecido de purê de mandioquinha com crisp de alho-poró. Não dispense o couvert, composto de deliciosos pães feitos na casa, entre eles o indiano nan. No almoço durante a semana, é oferecido um atraente cardápio executivo completo. Para harmonizar com as sugestões preparadas com riqueza de vegetais frescos e crocantes, cai bem o Cellar Selection Pinot Noir 2010, produzido na Nova Zelândia. O estabelecimento recebeu 1 voto do “Comer & Beber”.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s