‘Trem das Onze’ imortalizou o Tramway da Cantareira

Canção do sambista Adoniran Barbosa completa cinquenta anos em setembro

Lançada pelo sambista Adoniran Barbosa em setembro de 1964 e gravada pela banda paulistana Demônios da Garoa, a canção Trem das Onze traz os versos clássicos “Moro em Jaçanã / Se eu perder esse trem / Que sai agora às 11 horas / Só amanhã de manhã”.

 

A letra faz referência ao Tramway da Cantareira, ferrovia de 21 quilômetros que ligava o centro à serra e a Guarulhos. Sua inspiração surgiu durante as idas do compositor, também ator, ao Jaçanã, onde gravava filmes na Companhia Cinematográfica Maristela, mas a música só ficou pronta dois meses depois da última viagem da linha. Os dois ramais possuíam 21 estações e, curiosamente, o horário oficial do “trem das onze” era 22h59.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s