Radar cultural: as atrações boas, as ruins, as lotadas e as tranquilas em 2014

No retrospectiva dos programas culturais, as filas nem sempre foram sinônimo de algo imperdível

+ Gourmetômetro: as comidas que mudaram de status em 2014

As longas filas foram um marco das atrações culturais da cidade em 2014. Seja para aproveitar o que era exibido ou apenas para garantir uma boa selfie no Instagram, o público foi atrás de Yayoi Kusama e outras tantas exposições.

+ Bala artesanal vira obra de arte para ser saboreada na Bienal

+ Selfies de 2014: o ano retratado por seus protagonistas 

Ao mesmo tempo, deixou tranquilo o espaço para quem procurou a exposição de Hans Hartung ou peças como Jesus Cristo Superstar, sem falar da Bienal de Arte, no Ibirapuera.

Abaixo, um balanço do que foi bom e ruim entre esses sucessos e títulos mais tranquilos.

 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s