Psicólogas dão tratamento gratuito para vítimas de violência

Fundadoras da Clínica Comunitária Grei, as profissionais coordenam uma equipe que atende mais de 150 crianças carentes por mês

Pode-se dizer que as psicólogas Roberta Longo e Sonia Falcão Carvalho levam uma “vida dupla”. Em parte do dia, mãe e filha atendem pacientes de classe média alta no consultório que dividem no bairro do Morumbi. Na outra metade, lidam com uma realidade bem diferente: as tristes histórias de crianças carentes que foram vítimas de violência ou maus-tratos. As profissionais foram as fundadoras da Clínica Comunitária Grei, ONG em atividade desde 2004 que dá atendimento gratuito a cerca de 150 crianças por mês de doze instituições da capital, como escolas, creches e abrigos. “Elas vivenciam coisas que nem imaginamos ser capazes de acontecer”, conta Roberta.

Relatos de abandono e até de abuso sexual são comuns. “Já atendemos um menino que encontrou o corpo do irmão jogado numa caçamba e outro que viu o pai matar a mãe”, recorda Sonia. A ideia é fazer um trabalho similar ao desenvolvido em consultórios particulares: sessões individuais e semanais de cinquenta minutos, e o tratamento demora o tempo que for necessário — mais de um ano, em muitos casos. Para isso, Roberta e Sonia coor denam uma equipe de 23 profissionais voluntárias da mesma área, que vão até os locais onde as crianças se encontram. Com um apertado orçamento de 20 000 reais mensais, a ONG sobrevive de doações — muitas vezes, a dupla completa as contas com dinheiro do próprio bolso. “O esforço vale a pena, pois essas crianças são verdadeiras sobreviventes”, justifica Sonia.

Clínica Comunitária Grei. www.clinicagrei.org.br.

1/8
Instituição da Barra Funda investe em atividades inclusivas ( / Laramara atende crianças com deficiência visual)
2/8
Criada por duas amigas, a Tempo de Brincar promove festas para os doentes e seus pais ( / ONG alegra jovens internados em hospitais públicos)
3/8
A Auma tem mais de duas décadas de atividade e recebe cinquenta estudantes ( / Escola gratuita para autistas funciona na Zona Norte)
4/8
A ONG Sonhar Acordado realiza diversos tipos de ações de apoio a menores carentes ou doentes ( / Jovens voluntários promovem eventos culturais para crianças)
5/8
Na Vila Mariana, a Ahimsa auxilia jovens a se comunicarem ( / Crianças com múltiplas deficiências têm apoio de entidade)
6/8
Fundadoras da Clínica Comunitária Grei, as profissionais coordenam uma equipe que atende mais de 150 crianças carentes por mês ( / Psicólogas dão tratamento gratuito para vítimas de violência)
7/8
Lar transitório é o único da capital que acolhe crianças com menos de 1 ano de idade ( / Casa Bakhita cuida de bebês que foram retirados dos pais pela Justiça)
8/8
Com 110 crianças de 1 a 3 anos, a iniciativa é gerida pela associação internacional Amurt-Amurtel ( / Creche da periferia dá aulas de meditação e merenda vegetariana)
Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s