ONG alegra jovens internados em hospitais públicos

Criada por duas amigas, a Tempo de Brincar promove festas para os doentes e seus pais

Em 2011, a jornalista Renata Costa passou cinco meses repletos de angústia ao lado da filha recém-nascida que sofria com um problema cardíaco. O bebê acabou não resistindo e morreu. “Eu poderia ter me lamentado pelo resto da vida, mas resolvi transformar essa desgraça em algo bom para outras pessoas”, conta. Renata montou, no ano passado, a ONG Tempo de Brincar, junto da administradora Fernanda Zylberstajn, cuja filha também teve problemas cardíacos e ficou internada durante seis meses de seu primeiro ano de vida. O trabalho da instituição, que calcula ter ajudado até agora cerca de 700 menores, consiste em dar conforto a crianças que estão há muito tempo em hospitais públicos da cidade.

São promovidas festas e entregas de presentes para alegrar os pequenos pacientes em datas comemorativas, como Natal e Dia das Crianças. No último Dia dos Pais, por exemplo, voluntários vestidos de super-heróis, como Thor, Batman e Homem-Aranha, visitaram as alas de pediatria e UTI infantil do Instituto do Coração e outros dois centros. Tudo é registrado com uma máquin afotográfica instantânea, para que a família tenha recordações desses momentos. “É gratificante ouvir das crianças coisas como ‘hoje foi o melhor dia da minha vida’”, afirma Renata. Junto de Fernanda, ela também promove cursos de artesanato para distrair as mães. A dupla tem agora planos de reformar a brinquedoteca de um hospital de Pedreira, a 138 quilômetros da capital.

Tempo de Brincar. www.tempodebrincar.org.br.

1/8
Instituição da Barra Funda investe em atividades inclusivas ( / Laramara atende crianças com deficiência visual)
2/8
Criada por duas amigas, a Tempo de Brincar promove festas para os doentes e seus pais ( / ONG alegra jovens internados em hospitais públicos)
3/8
A Auma tem mais de duas décadas de atividade e recebe cinquenta estudantes ( / Escola gratuita para autistas funciona na Zona Norte)
4/8
A ONG Sonhar Acordado realiza diversos tipos de ações de apoio a menores carentes ou doentes ( / Jovens voluntários promovem eventos culturais para crianças)
5/8
Na Vila Mariana, a Ahimsa auxilia jovens a se comunicarem ( / Crianças com múltiplas deficiências têm apoio de entidade)
6/8
Fundadoras da Clínica Comunitária Grei, as profissionais coordenam uma equipe que atende mais de 150 crianças carentes por mês ( / Psicólogas dão tratamento gratuito para vítimas de violência)
7/8
Lar transitório é o único da capital que acolhe crianças com menos de 1 ano de idade ( / Casa Bakhita cuida de bebês que foram retirados dos pais pela Justiça)
8/8
Com 110 crianças de 1 a 3 anos, a iniciativa é gerida pela associação internacional Amurt-Amurtel ( / Creche da periferia dá aulas de meditação e merenda vegetariana)
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s