Mostra reúne diferentes vertentes de Oswaldo Goeldi

Em cartaz na Estação Pinacoteca, montagem explora os jogos de cores e sombras do artista

Mais importante e influente gravador da história da arte moderna brasileira, o carioca Oswaldo Goeldi (1895-1961), felizmente, não costuma ficar muito tempo fora de cartaz na cidade. O Museu de Arte Moderna, por exemplo, encerrou em agosto uma ampla retrospectiva de sua obra, intitulada Sombria Luz e composta de cerca de 200 trabalhos. Agora, a Estação Pinacoteca amealha no Gabinete de Gravura Guita e José Mindlin um conjunto de 56 peças realizadas entre 1924 e 1960, todas pertencentes ao acervo da instituição.

Filho do naturalista suíço Emílio Augusto Goeldi, ele passou alguns anos da infância em Belém. Ainda na juventude, mudou-se com a família para a Suíça, onde deu início à formação artística. Nessa época, chegou a conhecer o desenhista austríaco Alfred Kubin, a principal influência em sua carreira, com quem manteve uma frutífera correspondência durante décadas. De volta ao Brasil, em 1919, estabeleceu-se no Rio de Janeiro, e ali ficou pelo resto da vida.

Os trabalhos de inflexão expressionista que fizeram a fama do artista e o tornaram respeitado na genealogia gráfica do país não ficaram de fora da nova montagem, de curadoria de Carlos Martins e organizada de maneira cronológica. Estão lá os jogos de sombras, as temáticas sociais, a visão profundamente pessimista do mundo e personagens como pescadores, ladrões, prostitutas e urubus, sempre em ruas vazias do subúrbio ou em frente a casarões abandonados.

Há, contudo, itens surpreendentes: xilogravuras nas quais ele experimentou cores fortes e intensas, pouco exibidas em mostras. Caso da quase idílica Jardineiro, do amarelo bem claro de Areia do Mar e, sobretudo, do vermelho berrante de Eclipse. Também integram a montagem ilustrações para reportagens de jornais, contos e romances. Nesses últimos, constam os desenhos criados para ilustrar, por encomenda do editor José Olympio, livros do escritor russo Fiódor Dostoiévski, com quem Goeldi guardava semelhanças estéticas.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s