‘Amor Pleno’, de Terrence Malick: um romance de altos e baixos

O longa estrelado por Ben Affleck e Olga Kurylenko é narrado em cenas de encher os olhos

Antes um diretor bissexto, Terrence Malick aparece com um novo trabalho dois anos depois da estreia no Brasil do anterior, A Árvore da Vida. A fórmula visual continua a mesma, embora Amor Pleno seja bem menos complexo e viajandão. No centro do roteiro está o vai-vém da relação do americano Neil (Ben Affeck) com a mãe solteira Marina (Olga Kurylenko), que ele conheceu numa viagem à França.

+ Saiba os horários  e salas para ver Amor Pleno

Ao lado da filha, ela vai viver com o amado numa cidadezinha de Oklahoma. Tempos depois, o tédio se anuncia e o relacionamento desanda. O realizador, primoroso nos enquadramentos, deixa a câmera inquieta rodopiar por corpos, cômodos, ruas e campos.

Na maioria das vezes, os raros diálogos não casam com as imagens e prevalecem as narrações em off dos personagens revelando os desdobramentos do romance — seria algo como se o espectador estivesse “vendo” um livro. Esses maneirismos estéticos, de uma beleza arrebatadora, podem tanto parecer ousadia quanto pretensão.

Avaliação: ✪✪✪

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s