Liv Ullmann expõe-se no filme ‘Liv & Ingmar — Uma História de Amor’

Documentário mostra a relação entre a atriz e o diretor sueco Ingmar Bergman, de <em>Morangos Silvestres</em>

Ingmar Bergman (1918-2007) é um dos mais importantes cineastas da história, autor de clássicos como O Sétimo Selo (1957) e Fanny & Alexander (1982). Liv Ullmann, de 74 anos, foi sua maior musa. Eles viveram juntos por cinco anos, tiveram uma filha e foram parceiros em dez longas-metragens. Liv abordou o relacionamento amoroso no livro autobiográfico Mutações, de 1976. Achava que tinha encerrado o assunto por aí. Por insistência do realizador indiano Dheeraj Akolkar, a atriz concordou em dar uma extensa entrevista e rememorar o envolvimento e o trabalho com Bergman no documentário Liv & Ingmar — Uma História de Amor.

A presença da estrela faz toda a diferença. Embora haja foco na carreira de ambos, com cenas de algumas de suas fitas, o filme possui uma voltagem íntima e confessional — Liv fica boa parte do tempo em cena para despejar alegrias e ressentimentos a respeito da vida conjugal. Entre os dissabores estão os dois anos vivendo totalmente isolados na sueca Ilha de Faro. Ciumento e controlador, Bergman chegou a construir um muro alto ao redor da casa para impedir qualquer bisbilhotagem. Sua docilidade,contudo, fica comprovada em uma sequência tocante: na mesma residência, Liv achou o ursinho dele e, escondida na pelúcia, havia uma carta que ela enviara muito tempo antes. Bergman era sentimental, conclui-se.

O romance começou em 1965, ano em que Liv, então uma jovem atriz de teatro de 26 anos, foi filmar Quando Duas Mulheres Pecam (também conhecido como Persona). Renomado no meio, Bergman tinha 46 anos. Como eles eram casados, a história chegou rapidinho aos jornais. Mesmo depois da separação, os dois continuaram amigos por quase quatro décadas e foram cúmplices em belos filmes, como Gritos e Sussurros,Cenas de um Casamento e Sonata de Outono. Com lágrimas nos olhos, Liv fala dos últimos suspiros de Bergman, o homem, o amigo e o diretor que, certamente, deixaram um vazio em seu coração.

AVALIAÇÃO: ✪✪✪

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s