Crianças com múltiplas deficiências têm apoio de entidade

Na Vila Mariana, a Ahimsa auxilia jovens a se comunicarem

A educadora americana Anne Sullivan (1866-1936) ficou famosa por ter conseguido romper o isolamento imposto pela quase total falta de comunicação da aluna Helen Keller (1880-1968), surda e cega, que depois se tornou uma prolífica escritora e filósofa. A trajetória das duas virou filme e peça de teatro e inspirou a criação, em 1991, da Ahimsa, entidade instalada na Vila Mariana responsável por garotos e garotas vítimas da dramática situação de possuir múltiplas deficiências, a exemplo de Tyfanir dos Santos, de 7 anos, que escuta mal, enxerga pouco e não consegue andar direito. “Algumas crianças que chegam aqui nunca tiveram estímulos”, afirma a pedagoga Roberta Fernandes. “Cada uma delas vive em um mundo.”

Há aquelas que, por consequência de paralisia cerebral ou rubéola, não andam, não ouvem, não enxergam e, consequentemente, não conseguem falar. Só sabem chorar, gritar ou mesmo autoagredir-se. A Ahimsa tem cerca de 200 alunos matriculados em cursos que empregam diversos elementos para o aprendizado, como texturas, música, tinta e até jardinagem. “Nosso objetivo é fazer com que eles se comuniquem”, diz a assistente social Regina Flöter, uma das fundadoras da entidade, criada sem fins lucrativos, que se mantém com o auxílio de doações e do governo.“O programa de ensino é muito individual, já que cada um traz diferentes deficiências e níveis de desenvolvimento.” As mães também participam de algumas aulas para aprender como lidar melhor com os filhos.

Ahimsa. www.ahimsa.org.br.

1/8
Instituição da Barra Funda investe em atividades inclusivas ( / Laramara atende crianças com deficiência visual)
2/8
Criada por duas amigas, a Tempo de Brincar promove festas para os doentes e seus pais ( / ONG alegra jovens internados em hospitais públicos)
3/8
A Auma tem mais de duas décadas de atividade e recebe cinquenta estudantes ( / Escola gratuita para autistas funciona na Zona Norte)
4/8
A ONG Sonhar Acordado realiza diversos tipos de ações de apoio a menores carentes ou doentes ( / Jovens voluntários promovem eventos culturais para crianças)
5/8
Na Vila Mariana, a Ahimsa auxilia jovens a se comunicarem ( / Crianças com múltiplas deficiências têm apoio de entidade)
6/8
Fundadoras da Clínica Comunitária Grei, as profissionais coordenam uma equipe que atende mais de 150 crianças carentes por mês ( / Psicólogas dão tratamento gratuito para vítimas de violência)
7/8
Lar transitório é o único da capital que acolhe crianças com menos de 1 ano de idade ( / Casa Bakhita cuida de bebês que foram retirados dos pais pela Justiça)
8/8
Com 110 crianças de 1 a 3 anos, a iniciativa é gerida pela associação internacional Amurt-Amurtel ( / Creche da periferia dá aulas de meditação e merenda vegetariana)
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s