As melhores exposições para o fim de semana

Coleção do Itaú Cultural na Oca e obras de Toulouse-Lautrec no Masp encabeçam a lista

Duas mostras bombásticas estão em cartaz na cidade: Modos de Ver o Brasil, que celebra os 30 anos do Itaú Cultural, na Oca; e a maior exposição já feita por aqui do pintor francês Henri Toulouse-Lautrec, no Masp. Confira outras dicas para um fim de semana cultural:

Adriana Varejão é um dos destaques da mostra Modos de Ver o Brasil (Sergio_Guerini/Veja SP)

30 anos do Itaú Cultural, na Oca

Para celebrar seus trinta anos de existência, a instituição preparou a megaexposição Modos de Ver o Brasil. Ela preenche os quatro andares da Oca. Gratuita, a exibição assemelha-se aos livros ilustrados de história da arte que comprimem séculos de produção. A diferença é que, no prédio assinado por Niemeyer, o público faz um passeio visual por 750 obras originais da arte brasileira.

Vídeos no Paço das Artes ironizam falta de contato entre as pessoas (Divulgação/Veja SP)

Renan Marcondes, no Paço das Artes

Realocado temporariamente no prédio do MIS, o Paço das Artes apresenta sua Temporada de Projetos, espécie de incubadora de experimentação artística. Entre os nove selecionados para o programa anual está Renan Marcondes, que apresenta a mostra Protetores de Proximidade Humana (unidades valsa e beijo). Dois vídeos bem construídos e acompanhados de textos e objetos assinados pelo artista fazem críticas inteligentes à falta de contato e carinho entre as pessoas.

Toulouse-Lautrec, no Masp

Fizemos um mergulho na vida e obra do pintor francês, que ganha sua maior exposição individual por aqui a partir desta sexta (30). Assista ao vídeo para uma palhinha do que você verá na exposição Toulouse-Lautrec em Vermelho:

Não acaba por aí:

O Mube e a Fundação Ema Klabin oferecem duas programações bem diferentes para este sábado (1º ). Para celebrar o encerramento da mostra Pedra no Céu, em homenagem a Paulo Mendes da Rocha, arquiteto do Mube, será apresentado um recital de piano ao ar livre às 11h. Já a casa-museu Ema Klabin oferece um arraial étnico que, além das comidinhas juninas típicas, terá culinária africana, colombiana e síria preparadas por refugiados. O melhor de tudo é que dá para fazer uma dobradinha: os museus estão localizadas a poucos passos de distância, na Avenida Europa.

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s