Saiba onde comprar bons quitutes árabes como quibes e esfihas

Conheça doze endereços que vendem salgados típicos servidos em ambientes informais ou feitos para levar para casa

Originalmente uma especialidade dos restaurantes típicos, os salgados árabes já são itens comuns nos bares e lanchonetes da cidade. Eles repousam em vitrines ou estufas ao lado de coxinhas, pães de queijo, croquetes e mais lanches triviais.

Alguns endereços, porém, especializaram-se em servir apenas quitutes libaneses em ambientes informais ou para levar para casa. Funcionando também como delivery desde 2008, a Confeitaria Catedral, tradicional casa no Paraíso, reabriu em dezembro em Moema.

Apesar do que o nome indica, os doces ficam em segundo plano no cardápio. O público busca principalmente as esfihas, como a folhada de queijo mussarela e salsinha (R$ 4,90) e a aberta de coalhada seca regada com um fio de azeite (R$ 3,30), e o quibe frito incrementado por nozes (R$ 4,80).

Boa opção para quem quer encomendar uma grande quantidade de salgadinhos, o premiado Arábia dispõe de uma loja de fábrica na Vila Olímpia onde as esfihas para coquetel custam R$ 1,00 a unidade. 

Abaixo outros endereços que vendem bons salgados árabes. Confira ainda um glossário com os termos mais recorrentes nos cardápios:

Arabíe: instalada em um pequeno salão no Itaim, serve apetitosas especialidades árabes. O dia todo há na estufa esfiha de carne, pimenta síria e bastrmá (um tipo de carne curada; R$ 5,50) e queijo mussarela (R$ 3,90). Assadas na hora, as versões folhadas são ainda melhores. Prove a de ricota umedecida com coalhada com salsinha (R$ 5,90).

Art Esfiha: as irmãs, Márcia, Maria Angela e Rosa Abbud fazem esfihas de massa macia dourada no topo e recheios saborosos. Agradam as versões fechadas tradicionais de carne e ricota (R$ 3,90 a unidade). A aberta de abobrinha com alho-poró (R$ 4,10) entra em cartaz apenas às terças. 

Casa Libanesa: neste endereço bem simples, as esfihas são montadas e assadas na hora. As abertas podem receber seis tipos de recheio, a exemplo de ricota (R$ 4,80) e carne de cordeiro (R$ 6,40). Há maior variedade das fechadas, que ganham até sabores “abrasileirados” como frango com catupiry e bauruzinho (R$ 4,80 cada).

Cedro do Líbano: tira do forno apetitosos salgados, caso das esfihas fechadas de queijo mussarela, ricota com hortelã e calabresa (R$ 5,50 cada uma), além da tradicional de carne (R$ 4,40).

Effendi: tem jeitão de padaria de bairro, mas a especialidade são as esfihas assadas na hora. Montada na massa fina, a aberta de queijo é enriquecida por bastrmá (R$ 4,60), carne bovina curada típica da Armênia. A fechada de espinafre (R$ 4,20) lembra a forma de uma bala, com as pontas torcidas.

Rosima

Rosima

Jaber: quem chega assim que a fornada acaba de sair prova esfihas abertas de ricota, mussarela e queijo de minas temperados com cebola, salsa e azeite (R$ 3,80) e de carne (R$ 3,50) ainda quentinhas.

Maxifour Café: na unidade de Moema, sirva-se do bufê por quilo (R$ 60,00) ou escolha pratos típicos à la carte. A esfiha aberta de carne ou ricota custa R$ 6,00.

Raful: antes de chegarem à estufa, as esfihas recém-saídas do forno circulam pelo salão em bandejas. Além da tradicional aberta de carne (R$ 3,30), vai bem uma versão em massa folhada crocante recheada de ricota temperada (R$ 4,00). Prove também o quibe frito preenchido com coalhada (R$ 4,50).

Rosima: elabora receitas árabes há mais de quarenta anos. Vão bem a esfiha aberta de carne na massa folhada (R$ 5,00) e a fechada de verdura (R$ 3,80). Outra boa opção: quibe frito com recheio de carne moída (R$ 4,50).

GLOSSÁRIO:

Ataíf: espécie de crepe árabe, massa feita com farinha, leite e fermento fresco, geralmente recheado de nozes ou nata

Babaganuche: pasta à base de berinjela

Baklava: massa folhada, recheada geralmente de pistache, nozes ou caju

Burma: macarrãozinho recheado com pistache, nozes ou caju

Cafta: espeto de carne moída

Chanclich: queijo árabe

Chawarma: carne, normalmente de cordeiro, assada em um espeto vertical e servida enrolada em pão árabe. Também entendido como kebab.

Faláfel: bolinhos fritos de fava e grão-de-bico ao molho de gergelim

Halawi: doce árabe de gergelim

Homus: pasta de grão-de-bico

Malabie: espécie de manjar com almíscar (miski) coberto com geleia de damasco

Sumac: tipo de condimento ácido e avermelhado, obtido da fruta de mesmo nome

Tahine: molho de gergelim

Zátar: especiaria  muito apreciada no Líbano, constituída pela mistura moída de tomilho seco em pó, sumac e sementes de gergelim

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s