As melhores e mais improváveis coxinhas da cidade

O salgado queridinho dos bares ganha espaço em restaurantes e endereços de comidinhas; há até uma versão gigante de 1 quilo

 Você gosta de coxinha? Se você pensou no uso mais recente da palavra, empregada como sinônimo de playboy, esqueça.

+ Playboys da cidade comentam a fama de “coxinha”

Aqui, vamos falar da coxinha que quase todo paulistano (exceto os empenhados no #projetoverão, claro) amam. O salgado tradicional leva massa de batata e recheio de frango. As invencionices que começaram com um inocente catupiry no recheio hoje abrangem de coxinha de Nutella (sim, existe) até versões de ossobuco, carne-louca, rabada e joelho de porco.

+ Food truck tem cardápio só de coxinhas

Escolha a sua favorita e bom apetite!

BARES

Bar e Armazém Cambuci: serve versões de frango com requeijão na massa de batata e de carne-seca com um toque de abóbora. Cada unidade sai por R$ 5,00.  

Bezerra: a chamada coxinha do chefe (R$ 35,50; oito unidades) é na verdade uma isca de peito de frango com catupiry espetada no palito e frita na hora. 

 

Frangó: os apreciadores de cervejas especiais da casa também podem harmonizá-las com o carro chefe da casa, a porção de dez coxinhas (R$ 29,00). 

Glória Bar: o local fez sua versão inusitada do salgado, na qual o frango e o catupiry foram substituídos por brie e mel (R$ 26,00; seis unidades).

Karavelle: conhecida pelos seus chopes, a cervejaria também serve uma porção com sete unidades de coxinhas de ossobuco (R$ 31,10).

Mercearia São Roque: a porção com seis unidades da coxinha de frango sai por R$28,00 e é uma boa pedida para acompanhar as caipirinhas.

Original: o bar oferece diversos recheios para as coxinhas: rabada, camarão, frango com catupiry e joelho de porco. Cada opção com cinco unidades custa R$ 21,00; a de camarão sai por R$ 24,00. 

Veloso: a famosa coxinha de frango com catupiry  do bar sai por R$ 25,50 (porção com seis unidades de tamanho médio). Parece impossível, mas há dias nos quais a procura é tão grande que o salgado esgota.

Veloso

Veloso

Vila Seu Justino: a porção de coxinha de frango é bem servida com doze unidades (R$ 23,90).

ENDEREÇOS DE COMIDINHAS 

Bakery Itiriki: ainda que os pães orientais sejam a especialidade, sobra espaço na vitrine para a coxinha, que pode ser com catupiry (R$ 6,50 ) ou simples (R$ 5,90).

Bologna: a padaria vende a coxa creme por R$ 8,00 a unidade. A versão tradicional, com ou sem catupiry, custa R$ 6,50. 

Octavio Café: a porção com oito unidadades bem cremosas de frango com catupiry sai por R$ 23,00. 

Ofner: a rede de lojas vende a unidade de coxinha de frango com catupiry por R$ 6,50; a coxa creme sai por R$ 8,50.

Padaria Brasileira: no total, oferece cinco opções de recheios. São elas: frango, frango com catupiry, catupiry, carne louca e pernil. A unidade grande sai por R$ 5,30 e a pequena, R$ 1,20.

RESTAURANTES

Attimo: a coxinha ganha recheio de galinha caipira e fonduta de catupiry (R$ 12,00). 

Attimo - coxinha

Attimo – coxinha

Gero Caffè: servida em um prato indiviual e acompanhada uma salada verde, a coxa creme oferecida de entrada quase vale por uma refeição (R$ 25,00). 

Ritto: a tradicional coxinha é servida em uma porção com quatro unidades (R$ 17,50). 

Side: em uma versão mais sofisticada, a massa da coxinha é feita de mandioquinha e o recheio é de costela suína. A porção com oito unidades custa R$  30,00. 

Side

Side

Ainda sobrou apetite? Eis o desafio final: a supercoxinha de quase um quilo (R$ 32,90) da Panetteria ZN. Mas pense duas vezes antes de tentar devorá-la sozinho: a fritura serve até quatro pessoas. A versão de tamanho normal custa R$6,50.

Supercoxinha - Panetteria ZN

Supercoxinha – Panetteria ZN

1/20
Bar & Armazém Cambuci (Fernando Moraes / Bar e Armazém Cambuci)
3/20
Como um bom brewpub, o bar exibe na matriz, no Jardim Paulista, os tanques usados na produção de cerveja. Parte dos fermentados, contudo, vem de uma fábrica em Indaiatuba (SP), a fim de suprir a demanda. Das seis variedades na pressão, a keller faz a linha das levinhas, enquanto a barba negra é uma stout […] ( / Karavelle)
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s