Cinquenta almoços na cidade por até 50 reais

Attimo, Epice, Osteria del Pettirosso e mais restaurantes bacanas que cobram um valor camarada pela refeição completa (entrada + prato principal + sobremesa)

Foi-se o tempo em que o almoço executivo era apenas uma espécie de caça-níquel composto de uma saladinha bem sem graça, um bifinho quase transparente de tão fino e uma fruta “da estação” para arrematar. Cada vez mais, chefs de restaurantes estrelados preparam pratos com esmero para a ocasião. O resultado é que o cliente encontra um pequeno banquete ao meio-dia.

 

Ganhador do título de melhor contemporâneo na mais recente edição especial “Comer & Beber”, o Epice cobra 49 reais pela refeição completa durante a semana nesse horário. É o mesmo valor pedido pelo “zécutivo” no Attimo, casa de Jefferson Rueda, eleito o chef do ano de 2013. Nesses dois endereços, um jantar não sai por menos de 150 reais, e sem bebida alcoólica. Ou seja, três vezes o preço pedido pelo executivo.

Há também casos como o da melhor cantina paulistana, a Osteria del Pettirosso, na qual o cozinheiro e dono Marco Renzetti repete as mesmas receitas do cardápio regular. Tais menus são uma oportunidade e tanto de visitar lugares caros por quantias que não doem no bolso.

De olho nisso, VEJA SÃO PAULO apresenta uma seleção com cinquenta endereços em que a refeição completa no almoço, com entrada, prato e sobremesa — em alguns casos até o couvert e a água —, custa no máximo 50 reais. São achados para comer bem sem gastar muito. Bom apetite!

 

PECHINCHA DE ESTRELADOS

AK VILA. A chef Andrea Kaufmann mistura receitas de vários países com preparações na grelha, muitas delas de pescados. Seu cuidado com o menu regular se repete no almoço executivo (36 reais), com pratos que mudam diariamente. Quem aparece por lá na quinta, por exemplo, prova o peixe e lula ao curry com arroz de jasmim.  

ARTURITO. Uma das grandes chefs da cidade, a argentina Paola Carosella baixou os preços do cardápio regular ao mesmo tempo que incrementou o executivo (44 reais). Onde mais encontrar ao meio-dia opções como risoto de lula e capellini com camarõezinhos por um preço tão camarada? E prove também um dos sorvetes de produção própria.  

ATTIMO. Eleito chef do ano, Jefferson Rueda faz pratos cheios de personalidade e com uma explosão de sabor. Batizado de zécutivo, o menu de almoço acaba de ser renovado e traz entre as gostosuras a anchova sobre arroz e grãos e a costelinha de porco, batata-doce e legumes, sempre às quintas. Custa 49 reais.  

BENEDICTINE. O chef Marcilio Araujo migrou com brilho da culinária francesa que fazia na rede Le Vin para a italiana ao se tornar sócio desta casa, aberta em julho do ano passado. No menu executivo (48 reais), ele faz pratos mais simples e apetitosos, entre eles a bisteca de porco empanada em crosta de pão com salada de rúcula ao parmesão.  

BRASIL A GOSTO. As sugestões do executivo (49 reais) da chef Ana Luiza Trajano têm dia certo para aparecer. Às terças, um prato vegetariano — a moqueca de legumes com arroz de coco e pirão de leite de castanha-do-pará disputa a atenção da clientela com o clássico filé à oswaldo aranha acompanhado de arroz, feijão, farofa e fritas. 

Chef Alberto Landgraf

Chef Alberto Landgraf

CHEFVIVI. Não há tédio na cozinha de Viviane Gonçalves, sócia do restaurante eleito o melhor variado pela edição especial “Comer & Beber”. A chef muda o executivo todos os dias. Se der sorte, você encontrará a bisque de camarão pequeno ou o filé de porco no melaço de cana com purê de batata-doce e crisps de alho-poró. O preço é de 48,50 reais.  

EPICE. O restaurante do chef Alberto Landgraffaturou o título de melhor contemporâneona mais recente edição “Comer & Beber”. Quem jantar por lá e pedir o menu degustação desembolsará 225 reais. Por 49 reais, ou menos de um quarto desse valor, saboreiam-se um cardápio executivo autoral do couvert à sobremesa, mais água à vontade. Exemplo: brioche grelhado com patê de foie gras e chutney de cebola-roxa.

ESQUINA MOCOTÓ. A nova casa de Rodrigo Oliveira, do Mocotó, oferece um dos menus executivos mais atraentes da capital. Na lista de receitas brasileiras incrivelmente apetitosas está o picadinho. Custa 39,80 reais e inclui o couvert com pães fresquinhos feitos na casa.  

JIQUITAIA. Não faltam méritos ao melhor menu executivo da cidade, eleito pela edição especial “Comer & Beber”. Por 39 reais, o chef Marcelo Corrêa Bastos faz pratos de sotaque caipira como o arroz de suã (carne das vértebras do porco) num caldo de limão-cravo. A trivial salada vem com irresistível molho de mostarda e vinagre. Adoça a boca o creme de queijo com goiabada cascão derretida.

KINOSHITA. Nada de teishokus aqui, as refeições completas japonesas apreciadas especialmente no almoço. Um dos mais premiados chefs da cidade, Tsuyoshi Murakami faz um executivo sem erro por 49 reais. Pode-se experimentar

Tian: picadinho asiático de filé-mignon, castanha-de-caju, molho de ostra, óleo de gergelim, pimentões e gengibre

Tian: picadinho asiático de filé-mignon, castanha-de-caju, molho de ostra, óleo de gergelim, pimentões e gengibre

LA CASSEROLE. Com seis décadas de história, o bistrô do centro não perdeu o vigor. A qualidade de sua cozinha se reflete também no menu do meio-dia (49 reais). Clássicos aparecem em nova roupagem, caso do escondidinho de coq au vin desfiado com purê de batata, uma receita conhecida como hachis parmentier.  

LA FRONTERA. Dona também do Martín Fierro, Ana Maria Massochi manda bem na seleção de carnes desta casa charmosa. Uma das especialidades, o bife de chorizo vem no ponto pedido e na companhia de um purê rústico de batata regado a azeite. Custa 44 reais.  

MIMO. Receitas ao mesmo tempo inventivas e delicadas compõem o cardápio desta casa contemporânea, com cozinha de Volney Ferreira. No menu de almoço (36,80 reais), surgem o saltimbocca com tagliolini na manteiga e o peixe do dia na companhia de arroz integral e legumes grelhados, ambos às segundas.  

 

OSTERIA DEL PETTIROSSO. Na melhor cantina da cidade, o executivo preparado pelo dono e chef Marco Renzetti tem um formato especial. O cliente escolhe uma das opções do cardápio regular, paga o preço do prato e tem direito a couvert, entrada e sobremesa. Se pedir o espaguete ao vôngole, gasta 49 reais.  

TIAN. Sim, existe um picadinho oriental e faz parte do menu executivo (36 reais) deste restaurante, eleito o melhor bom e barato pela edição “Comer & Beber”. A receita, de dar água na boca, leva filé-mignon, castanha- de-caju, molho de ostra, óleo de gergelim, pimentões, cenoura e gengibre. Vem com arroz e ovo frito.  

VITO. Um dos chefs mais promissores da nova geração, André Mifano apresenta sua versão de menu executivo. São sempre três opções fixas de massa. Uma delas, o espaguete à carbonara, sai por 38 reais no cardápio convencional. No executivo, com entrada e sobremesa, custa atraentes 41 reais. 

Bagatelle: galeto assado no molho trufado da própria ave com batata

Bagatelle: galeto assado no molho trufado da própria ave com batata

FÓRMULA FRANCESAPARA GASTAR MENOS

BISTROT BAGATELLE. Esqueça o clima de balada do jantar. No almoço, este é um bistrô comportado com executivo (45 reais) sob medida para o bolso. No menu do chef Gustavo Young, alguns dos pratos são importados do cardápio convencional. É o caso do tentador galeto assado ao molho trufado da própria ave com batata.  

BISTROT DE PARIS. Piloto dos fogões deste restaurante localizado nos fundos de uma charmosa galeria comercial, Alain Poletto organizou um menu completo com preços cobrados de acordo com o prato escolhido. Acompanhada de fritas douradas, a porção de mexilhões sai por 46 reais. Das sobremesas, não perca o creme brûlé.  

LA COCOTTE. Acaba de renovar o menu, que tem agora a assinatura do estrelado chef francês Erick Jacquin. No dia a dia, a execução está nas mãos de Flavio Santoro, que monta uma opção de executivo (48 reais). Dos peixes, fique com a saborosa prejereba grelhada com arroz de jasmim colorido por espinafre.  

LE FRENCH. No comando das caçarolas, o chef Luiz Emanuel (ex-Allez, Allez!) prepara receitas como o ovo pochê sobre brioche e espinafre e o steak tartare na companhia de batata frita em palitos finos e salada, conforme a disponibilidade de ingredientes. Creme brûlé e fondant de chocolate podem encerrar a refeição de 38 reais.  

TARTAR&CO. Durante o almoço, o picadinho de carne crua conhecido como steak tartare, estrela das escolhas à la carte, dá lugar a receitas quentes, como risoto de alcachofra e cogumelo-de-paris e bife à milanesa guarnecido de salada ao limão-siciliano. Além do trio entrada, prato e sobremesa, o preço de 47 reais inclui também o couvert. 

Tasca do Zé e da Maria: posta de bacalhau coberta por cebola caramelada e alho frito

Tasca do Zé e da Maria: posta de bacalhau coberta por cebola caramelada e alho frito

DESCONTOS IBÉRICOS

BACALHOEIRO. Para agradar a um número maior de apetites, a casa portuguesa não restringe o executivo (38,90 reais) apenas a opções de bacalhau e outros pratos da terrinha. Inclui sugestões como o salmão com arroz à grega, o fettuccine com escalopinho de carne e o filé de frango à parmigiana.  

CLOS DE TAPAS. Desde janeiro, a cozinha tem nova dupla de comandantes: o paulista Juca Duarte e o argentino Julian Rigo. A quatro mãos, eles acabam de lançar um executivo (48 reais) que permite experimentar o porco preto ao vinagrete com purê de batata e o saint-peter empanado na companhia de arroz de beterraba.  

TASCA DO ZÉ E DA MARIA. Eis uma ótima maneira de saborear bacalhau, um peixe reconhecidamente salgado, com o perdão do trocadilho, sem gastar uma fortuna. Diariamente, há pelo menos um prato com o pescado, caso da posta coberta por cebola caramelada e alho frito servida às quartas. Custa 49 reais.

Aguzzo Cucina e Vino: nhoque misto de batata, ricota e espinafre ao molho de gorgonzola

Aguzzo Cucina e Vino: nhoque misto de batata, ricota e espinafre ao molho de gorgonzola

MASSAS QUE NÃO PESAM

AGUZZO CUCINA E VINO. Em uma esquina tranquila de Pinheiros, Osmânio Rezende foca receitas italianas que costumava sugerir quando era maître no Grupo Fasano. Uma sugestão de primeira que entra nesta semana no menu de almoço (49 reais) é o nhoque misto de batata, ricota e espinafre ao molho de gorgonzola.  

FRICCÒ. Propõe um dos menus mais fáceis de engolir desta seleção por causa do precinho. Por 33 reais, provam-se uma sopa ou salada seguida de massa ou carne mais uma bola de sorvete, por exemplo. Entre as opções de prato, diferentes a cada dia, aparece o polpettone na companhia de arroz e legumes. Atenção: só aceita cartões de débito.  

LA GRASSA. Nesta trattoria graciosa de Moema, o almoço executivo (44 reais) tem caprichadas opções que não se resumem a massas. Exemplos? O ossobuco na companhia de risoto de parmesão mais salada de salsão e o peixe do dia com salada mista de abóbora e feijão-branco ao pesto de agrião.  

LA MADONNINA RAVIOLI. Em um dos restaurantes mais bonitos da cidade, o responsável pela cozinha é o proprietário Roberto Ravioli. Ao meio-dia, ele sugere receitas como o peixe do dia no aromático molho de tomate, alho-poró e azeitona preta, o mini-stinco de cordeiro com risoto de abobrinha e o rigatoni ao molho de tomate picante. O combo completo sai por 49,50 reais.  

MELLÃO. O chef Hamilton Mello, o Mellão, troca os pratos do menu executivo (38 reais) a cada dois dias. Algumas receitas queridinhas do público que trabalha na região do Itaim, entretanto, podem se repetir com mais frequência. É o caso do linguado grelhado ao molho de uva e amêndoas na companhia de risoto de limão-siciliano, que no cardápio à la carte custa sozinho 68 reais.  

Positano: filé de tamboril sobre risoto ao limão servido somente às sextas

Positano: filé de tamboril sobre risoto ao limão servido somente às sextas

POSITANO. Ex-Piselli, o chef italiano Boris Melon trafega muito à vontade entre as receitas tradicionais de seu país. Diferente a cada dia durante a semana, o almoço (39 reais) traz às terças a polenta cremosa aos quatro queijos com ragu de rabada e às sextas o filé de peixe do dia, que pode ser o tamboril, sobre risoto ao limão.  

SPADACCINO. Um pequeno sobrado abriga a agradável trattoria dedicada a especialidades do norte da Itália, região onde nasceram os pais da proprietária e chef, Paula Lazzarini. Elas são diferentes a cada dia da semana. Às quintas, entram em cartaz pescados como o tagliatelle com frutos do mar. O valor de 44 reais dá direito inclusive ao couvert.  

TAPPO TRATTORIA. De funcionamento peculiar no almoço durante a semana, é uma das quatro casas que o chef Benny Novak tem na cidade. Cobra-se o executivo de acordo com o prato escolhido do cardápio convencional. Os mais em conta deles, o nhoque de batata ao ragu de carne e o fettuccine ao pesto saem a 39 reais cada.  

VINHERIA PERCUSSI. Provar a refinada culinária da chef Silvia Percussi na hora do almoço custa 48 reais. Rotativas, as sugestões incluem o ótimo escalope de frango ao molho de vinho Marsala com cogumelo-de-paris mais ravióli de queijo gruyère de guarnição. Só as saladas verde e de frutas são fixas de terça a sexta. Há sobremesas como a pera ao vinho tinto.

Bistrô Charlô: caçarola de legumes assados cm ovos mais coalhada

Bistrô Charlô: caçarola de legumes assados cm ovos mais coalhada

MISCELÂNEA DO BOM PREÇO

BISTRÔ CHARLÔ. A nova fórmula de almoço a 50 reais mostra-se atraente: em serviço à la carte, a refeição pode custar quase quatro vezesmais. Entre as receitas sugeridas até o fim de abril, está a caçarola de legumes assados com ovos mais coalhada. Na sobremesa, não hesite: suspiro intercalado com caqui e chantili fresco.

BY KOJI. Em pleno Estádio do Morumbi, o chef são-paulino Koji Yokomizo propõe um almoço oriental por 50 reais. Escolhem-se dois pratos em porções reduzidas mais um par de acompanhamentos. Para encerrar a refeição com vista para o gramado, há fruta ou sorvete. Nem corintiano pode negar que é um bom negócio.  

COLHER DE PAU. Representante do Ceará, a casa tem matriz em Fortaleza. Os pratos executivos mudam a cada semana e o menu completo tem preço inferior a 40 reais. Paga-se pelo valor da opção escolhida. Melhor dia para provar as sugestões típicas, a sexta tem a moqueca de peixe no leite de coco (35,70 reais).  

FAMILIA YANNELLI PARRILLA. Nesta casa de carnes ao estilo argentino, o almoço executivo (38,90 reais) tem início com o couvert. Em sequência, chegam à mesa linguiça, salada mista e um corte bovino acompanhado de arroz e farofa. São exemplos fraldinha, bife de chorizo e assado de tira, extraído da costela. Se estiver em dia com a balança, arremate com o pudim.  

 

FISHERMAN’S TABLE. Em ambiente descolado, os primos coreanos Ryan e Jae Kim propõem dois menus executivos por até 50 reais. O meat lover (37 reais) traz sugestões fixas para quem adora carne, caso da pancetta mais cará e alho-poró. A versão dedicada aos amantes dos frutos do mar, com direito a arroz coberto por sashimi e ovas de salmão, custa 47 reais.  

KOSUSHI. Provar as criações do sushiman George Yuji Koshoji pode implicar um investimento de até 175 reais por pessoa. Daí a vantagem do especial servido ao meio-dia. A sequência de tempurá de legumes e camarão, sashimi, sushi, gohan (arroz) e missoshiru mais um doce sai por 45 reais. Também disponível na filial do Shopping Cidade Jardim.  

LA MAR CEBICHERIA PERUANA. A filial do restaurante fundado pelo premiado chef Gastón Acúrio, em Lima, no Peru, tem a culinária andina como especialidade. No almoço (49 reais), aproveite para provar uma das versões de ceviche de entrada. A chamada de mistura combina salmão e lula em leite de tigre de pimenta-cambuci, um caldo de peixe com limão e ervas.  

OBÁ. Brasil, Itália, México e Tailândia dividem território no colorido salão. Cada dia da semana elenca três sugestões principais, mais a moqueca vegetariana de palmito pupunha com banana, arroz e farofa. Faz sucesso na sexta o PF tai, preparado com frango salteado na panela wok com castanha-de-caju. Custa 31,90 reais.

Almodovar:

Almodovar:

MODERNOSSEM POSE

ALMODOVAR. O executivo em sistema rotativo semanal tem o preço mais vantajoso entre todos os endereços selecionados: 29 reais. Se der sorte, encontrará no menu espanhol feito com toques contemporâneos a favada asturiana (cozido de feijão-branco neste caso preparado com carne bovina) mais a entrada de almôndegas de cordeiro e arroz-doce na sobremesa.  

BEATO. Uma receita diferente de prato principal a cada dia é a proposta do chef Thiago Koch. Só às terças o escalope de filé-mignon com risoto de abobrinha e queijo de cabra aparece no menu. Fixas são apenas as entradas, que podem ser quiche ou salada, e as sobremesas, cheesecake ou brigadeiro de colher. Também não muda o preço de 39 reais.  

BLÚ BISTRÔ. Bem  diferente do jantar à la carte, quando tem clima para ir a dois, o almoço executivo (35,90 reais) se renova a cada semana. As pedidas mais atraentes são salada morna de quinoa ao pesto de rúcula (entrada), o rigatoni com presunto cru, queijo de cabra cremoso e tomatinho (prato) e a torta de maçã na massa folhada (sobremesa).  

BRAVIN. A sommelière Daniela Bravin acaba de inaugurar os almoços em seu restaurante e com eles o executivo (37 reais). São receitas diferentes a cada dia, com exceção da entrada e da sobremesa, sempre fixas. Vá de tartare de peixe branco com beterraba e de rabanada ao creme inglês. Às quartas, há um apetitoso bife à rolê. Vinhos em taça animam a refeição. 

TonTon: o chef Gustavo Rozzino responde pelas receitas

TonTon: o chef Gustavo Rozzino responde pelas receitas

LE MANJUE ORGANIQUE. Hortaliças e legumes orgânicos distribuem-se sobre o caprichado bufê de saladas. Depois de se servir à vontade dessas entradas, escolha um grelhado na companhia de massa ou risoto. Em harmonia com a pegada saudável do lugar, as sobremesas podem ser livres de açúcar, glúten e lactose. Custa 49 reais.  

MARAKUTHAI. Garota esperta, a chef Renata Vanzetto consegue encher o salão no almoço ao propor um menu por 34 reais. Uma refeição completa pode ter a saladinha de macarrão de arroz com hortaliças mais frango agridoce em tiras, o peixe ao molho de leite de coco na companhia de farofa de dendê e arroz e a ganache de chocolate.  

RUELLA. Novidade só na filial de Pinheiros, o executivo (39 reais) começou a ser servido no mês passado. Ao meio-dia, a chef Danielle Dahoui anota em uma lousa pedidas como o bem temperado hambúrguer de salmão, badejo e linguado, precedido de salada e finalizado em um doce como o tentadoramente calórico bolo de tapioca no melaço de cana.  

SAL GASTRONOMIA. Tatuado da cabeça aos pés, o chef Henrique Fogaça elabora receitas com influência brasileira. Na hora do almoço, essa habilidade brota no peixe do dia mais farofa de castanha-do-pará e mandioca cremosa. Quando a conta chega, o preço razoável de 42 reais não amarga a doçura da sobremesa.  

TONTON. Titular da cozinha, o sócio Gustavo Rozzino não desaponta nas sugestões salgadas do executivo. Até no frango marinado em ervas com arroz, feijão e farofinha (29 reais) ele se sai bem. Também acerta na salada de folhas e palmito grelhado. Só precisa melhorar a receita do fraco pudim de leite. 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s