Graça, a noiva sem cabeça de Higienópolis

Roupa passa o dia pendurada a uma árvore numa viela da Rua Piauí

A estilista Bibi Barcellos não tinha espaço em seu ateliê para guardar o vestido de noiva que fizera para um ensaio de moda, em 2006. Por isso, Graça (esse é o nome da roupa, em homenagem à princesa Grace Kelly) passa o dia pendurada a uma árvore numa viela da Rua Piauí, em Higienópolis. Para resistir ao ar livre por tanto tempo, o tecido é lavado a cada dois meses, reformado anualmente e protegido por um guarda-chuva. Mães do bairro levam crianças para ver a noiva bailando ao sabor do vento. Há quem tenha medo, ache que é fantasma. Certa vez, Bibi flagrou rapazes escarafunchando a saia. Bêbado, um deles se desculpou: “A gente não resistiu à dúvida e veio saber se ela usa calcinha”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s