Trinta perguntas para trinta personalidades

Antonio Fagundes, Milú Villela, Lala Rudge, Raí, Faustão e Jô Soares, entre outros, falam sobre sua relação com a cidade 

Uma pergunta a trinta personalidades que, pela relevância de sua atuação nas mais diversas áreas na cidade, ilustraram as páginas da revista ao longo das últimas três décadas. As fotos foram feitas por Bob Wolfenson. Clique aqui e confira o vídeo com os bastidores dos ensaios.

ANTÔNIO FAGUNDES


Antonio Fagundes - VEJASP 30 anos

Antonio Fagundes – VEJASP 30 anos

VOCÊ É UM DOS POUCOS ARTISTAS QUE NÃO USAM REDES SOCIAIS. NÃO TEM E-MAIL NEM CELULAR. POR QUÊ?

As pessoas parecem estar conectadas,mas, na verdade, estão cada vezmais solitárias. Se o Twitter reduziua comunicação a 140 caracteres,o Instagram deixou a coisaainda pior. A pessoa posta a fotoda batata frita e põe “nham-nham”como legenda. Nunca fomostão surdos, cegos e mudos.

+ Os maiores barracos protagonizados por personalidades paulistanas

JÔ SOARES

João Soares - VEJASP 30 anos

João Soares – VEJASP 30 anos

NA PRÓXIMA ELEIÇÃO PARA PREFEITO, TEREMOS UMA SÉRIE DE APRESENTADORES COMO CANDIDATOS. PENSOU EM ENTRAR NA DISPUTA?

Não tenho competência nem para ser vereador (risos). As pessoas acham que para ser pollítico é só ter voto, mas, na verdade, a pessoa precisa ter um projeto. Definitivamente, não é a minha.

ISABELI FONTANA


Isabeli Fontana - VEJASP 30 anos

Isabeli Fontana – VEJASP 30 anos

ATÉ ONDE VAI O ESTICA E PUXA DA BELEZA?

A beleza natural é o sucesso. Sou adepta do Botox preventivo. Faço aplicações na testa para arquear as sobrancelhas. 

FACUNDO GUERRA


Facundo Guerra - VEJASP 30 anos

Facundo Guerra – VEJASP 30 anos

QUAL É O PIOR E O MELHOR TIPO DE NOTÍVAGO?

O pior é o prepotente, que bebe e se acha o dono do mundo. É cara que, ao tomar bebida alcoólica, tem o ego expandido a tal ponto que esquece as regras de sociabilidade, é sem educação com bartender e acha que a boate gira em torno dele. O melhor é o dançarino despudorado, que se mexe sem se preocupar com quem está olhando; abraça a caixa de som sem medo de ser ridículo.

VIVIANE SENNA


Viviane Senna - VEJASP 30 anos

Viviane Senna – VEJASP 30 anos

EM UMA CIDADE COM TANTOS PROBLEMAS NA EDUCAÇÃO, EXISTE ALGUMA BOA NOTÍCIA NA ÁREA?

Sim, há algo positivo a destacar. Antes, a educação era vista como um problema do governo. Hoje, sabemos que é uma questão da sociedade civil. A boa intenção tem de ser via de largada, não de chegada. Todos temos de nos envolver nessa causa. O ensino nunca foi prioridade do país. Colhemos atualmente as consequências de jamais ter investido seriamente nesse setor.

GUSTAVO BORGES


Gustavo Borges - VEJASP 30 anos

Gustavo Borges – VEJASP 30 anos

QUAL O SEGREDO DE UM EX-ATLETAPARA NÃO MORRER NA PRAIA?

Há duas opções: ganhar muitas medalhas, caso do Cesar Cielo e do Michael Phelps, ou estudar (risos). Eu fiz economia na Universidade de Michigan, nos Estados Unidos. Quando pendurei o pé de pato, aos 31 anos, já tinha duas academias. De lá para cá, usei meus conhecimentos de atleta — dedicação e determinação — para expandir os meus negócios. Hoje, tenho cinco academias próprias e 350 licenciadas.

EMANOEL ARAÚJO


Emanoel Araújo - VEJASP 30 anos

Emanoel Araújo – VEJASP 30 anos

EM 2005, O SENHOR FOI SECRETÁRIO DE CULTURA DA CIDADE. FICA MAIS DIFÍCIL VOTAR DEPOIS DE TRABALHAR NO PODER PÚBLICO?

Está muito difícil, ainda mais num país em que os políticos nem sempre cumprem o que prometem. Eu fiquei 100 dias na administração municipal. Muitas vezes, pagava a gasolina do meu bolso para ir aos compromissos. 

ALEX ATALA


Alex Atala - VEJASP 30 anos

Alex Atala – VEJASP 30 anos

QUAL O INGREDIENTE MAIS PAULISTANO DE SEU RESTAURANTE?

O sorriso. Aqui, reunimos a melhor mão de obra do país. A mais atenciosa, a mais prestativa. Poucos lugares são tão cordiais e bons quanto São Paulo. 

+ Os modismos retratados nas páginas de VEJA SÃO PAULO

WALCYR CARRASCO


Walcyr Carrasco - VEJASP 30 anos

Walcyr Carrasco – VEJASP 30 anos

É DIFÍCIL MANTER A DIETA POR AQUI?

Muito. Há ótimos restaurantes e tentações. Além de ser maluco por um bom prato, eu amo cozinhar. Fiz cursos de risoto, mas parei porque engorda muito. Agora, virei um sushiman. A culinária japonesa é mais saudável. 

LALA RUDGE

Lala Rudge - VEJASP 30 anos

Lala Rudge – VEJASP 30 anos

O QUE NUNCA DEVERIA TER ENTRADO NA MODA?

A moda vive em transformação, assim como as pessoas. Já falei que não usaria barriga de fora e depois acabei usando. Falar algo assim seria arriscado, tudo muda. 

IRMÃOS CAMPANA


Irmãos Campana - VEJASP 30 anos

Irmãos Campana – VEJASP 30 anos

ONDE A CIDADE É MAIS BONITA? E MAIS FEIA?

Fernando — São Paulo é bipolar. É feia e bonita, curiosa e interessante. Certa vez, um amigo italiano comentou a feiura do Rio Tietê. Concordei, mas depois falei que daquele mesmo lugar podemos apreciar um pôr do sol lindo. Humberto — Vejo muita beleza no centro, que tem uma arquitetura preservada e de vários estilos. O que é mais feio é a entrada do Aeroporto de Cumbica. 

ALEXANDRE HERCHCOVITCH


Alexandre Herchcovitch - VEJASP 30 anos

Alexandre Herchcovitch – VEJASP 30 anos

QUAIS BAIRROS SERVEM DE FONTE DE INSPIRAÇÃO?

No Bom Retiro, sempre busquei coisas que embelezassem a minha roupa, como os aviamentos. Higienópolis tem um ar saudosista. As coisas por lá são mais preservadas. Por isso, deve ter muita coisa interessante no guarda-roupa dos seus moradores.

HELENA RIZZO


Helena Rizzo - VEJASP 30 anos

Helena Rizzo – VEJASP 30 anos

QUAL ALIMENTO OU INGREDIENTE PROTEGERIA DO “RAIO GOURMETIZADOR”?

Antes de tudo, eliminaria a palavra “gourmet” do vocabulário. Infelizmente, está tudo dominado. Dia desses, liguei para uma pizzaria para pedir um delivery de margherita e a telefonista perguntou se eu queria a versão “gourmet”. Ai, por favor, não precisa ter versão gourmet de algo simples e saboroso.

IRENE RAVACHE


Irene Ravache  - VEJASP 30 anos

Irene Ravache – VEJASP 30 anos

QUAL É A MAIOR NOVELA QUE ENVOLVE O COTIDIANO DE SÃO PAULO?

Ah, a locomoção é um enredo mais complicado do que muitas novelas. O trânsito é estressante, as calçadas nem sempre estão em bom estado, existe o medo do assaltante, então fica muito difícil circular por aqui. As autoridades deveriam ouvir um pouco mais quem conhece de fato a cidade, como os taxistas e os motoristas de ônibus, para testar eventuais mudanças.

+ Encontro improvável entre Sabrina Sato e Elisabete Sato

LUIZ SCWARCZ


Luiz Schawrcz - VEJASP 30 anos

Luiz Schawrcz – VEJASP 30 anos

SE SÃO PAULO FOSSE UM LIVRO, QUAL SERIA?

O Jogo da Amarelinha, de Julio Cortázar. Trata-se de um romance que propõe que cada leitor o leia na ordem que quiser, com emoções que vão se juntando. A história tem suspense e amor, e cada leitor pode ler de um jeito. É um livro muito querido para mim, assim como São Paulo. 

FAUSTÃO 


Faustão - VEJASP 30 anos

Faustão – VEJASP 30 anos

VEJA SÃO PAULO POR VEJA SÃO PAULO.

A Vejinha é o GPS cultural, econômico, gastronômico, informativo, de curiosidades e atualidades de quem vive e visita São Paulo. Aos trinta anos, ficou tão importante quanto a “Vejona”. 

MARIA FERNANDA CÂNDIDO

Maria Fernanda Cândido - VEJASP 30 anos

Maria Fernanda Cândido – VEJASP 30 anos

O QUE UMA PARANAENSE COMO VOCÊ MAIS APRECIA NA CIDADE?

Sou uma pessoa que usa demais São Paulo. Eu vivo a rotina paulistana. Saio muito pouco daqui, a não ser por trabalho. Eu vou a parques, museus. Ando com meus filhos pela Liberdade, pelo Bixiga e pelas feiras de antiguidade. 

+ Encontro improvável entr MC Guimê e Rico Mansur

LUCIANO HUCK


Luciano Huck - VEJASP 30 anos

Luciano Huck – VEJASP 30 anos

O QUE DE SÃO PAULO VOCÊ LEVARIA PARA UMA TRANSFORMAÇÃO NOS QUADROS “LATA VELHA” OU “LAR DOCE LAR”, DE SEU PROGRAMA?

Uma grande “reforma” que adoraria ter o poder de realizar na cidade seria a limpeza e a revitalização efetiva dos rios Pinheiros e Tietê, na região metropolitana. São Paulo se transformaria. 

AILTON GRAÇA


Ailton Graça - VEJASP 30 anos

Ailton Graça – VEJASP 30 anos

ANTES DE TRABALHAR NA TV E NO CINEMA, VOCÊ FOI CAMELÔ NAS RUAS DA CIDADE. O SUCESSO CHEGOU TARDE?

São Paulo lhe dá várias oportunidades, e eu realmente trabalhei como camelô por um tempo. Para manter o sonho aceso, é preciso se virar nos 30. Essa é a verdade. Foi o que fiz. Sempre me imaginei fazendo sucesso, mesmo quando realizava trabalhos alternativos na periferia da cidade. Tendo foco, você chega a qualquer lugar. 

ROGÉRIO FASANO


Rogério Fasano - VEJASP 30 anos

Rogério Fasano – VEJASP 30 anos

QUAIS AS COISAS MAIS IRRITANTES NO UNIVERSO GASTRONÔMICO?

Cliente arrogante, que destrata garçom, e restaurante que precisa cuidar do carro dos outros. Isso não existe no mundo. O restaurante deveria ser da porta para dentro. Eu tenho mais dor de cabeça com isso do que com as casas em si. 

MAYANA ZATZ


Mayna Zatz - VEJASP 30 anos

Mayna Zatz – VEJASP 30 anos

DENTRO DO MUNDO DA CIÊNCIA, AINDA HÁ SALVAÇÃO PARA OS NOSSOS RIOS E O NOSSO AR?

Na teoria, sim. Mas acho inviável pelo seguinte: a cidade não poderia ter essa superpopulação. Despoluir enquanto uma população grande crescente continua poluindo inviabilizaria qualquer resultado positivo. 

RAÍ


Raí - VEJASP 30 anos

Raí – VEJASP 30 anos

NA CARREIRA, CHEGOU A SOFRER COM A TORCIDA DO SÃO PAULO?

Como todo jogador, já levei vaias, tive atritos. Mas nunca aconteceu nenhum episódio mais grave. Minha relação com a cidade de São Paulo passa também pela identificação com o clube e toda a torcida. É gratificante. É por isso que eu continuo morando aqui. 

CARLOS JEREISSATI FILHO


Carlos Jereissati Filho - VEJASP 30 anos

Carlos Jereissati Filho – VEJASP 30 anos

O SHOPPING É MESMO A PRAIA DO PAULISTANO?

Esse negócio surgiu por aqui há quase cinquenta anos. Ele fez sucesso ao reunir conforto e segurança, entre outros atrativos. De certa forma, ensina à cidade que é possível ter um espaço público de qualidade. 

HUGO POSSOLO


Hugo Possolo - VEJASP 30 anos

Hugo Possolo – VEJASP 30 anos

TEM GRAÇA USAREM NARIZ DE PALHAÇO EM PROTESTO?

O que interessa é a causa da manifestação, e não a graça. Entendo quando as pessoas vão às ruas com um nariz vermelho. Eu também usaria, sem problemas. Alguns palhaços reclamam que isso está mexendo com a imagem dos palhaços, mas não me levo tão a sério.

DANILO SANTOS DE MIRANDA


Danilo Santos de Miranda - VEJASP 30 anos

Danilo Santos de Miranda – VEJASP 30 anos

QUAL SERIA SEU SHOW DOS SONHOS?

Chico Buarque cantando em um Sesc, algo ainda inédito. Mas o sonho efetivo seria ter um endereço nosso em cada extremo da cidade. Sei que um dia vou conseguir isso. 

FERNANDA FEITOSA


Fernanda Feitosa - VEJASP 30 anos

Fernanda Feitosa – VEJASP 30 anos

TIRARIA UMA SELFIE COM QUE OBRA AO FUNDO?

Seria clichê, mas tiraria no Louvre, tendo a Mona Lisa ao fundo. Com uma condição: de perto, sem estar longe do quadro. Criticam quem faz selfies em exposição. Não vejo problema. Essa mesma pessoa pode gostar do que viu e passar a visitar museus com frequência.

JOSÉ SIMÃO


José Simão - VEJASP 30 anos

José Simão – VEJASP 30 anos

QUAIS SÃO SUAS PIADAS PREFERIDAS SOBRE SÃO PAULO?

Ela foi fundada há 461 anos, mas foi afundada na última enchente. O carro por aqui deveria pagar IPTU — afinal, moramos dentro dele, por causa do trânsito. A última: para a próxima eleição ser toda com elenco da TV, teriam de colocar a Ana Maria Braga no lugar da Marta Suplicy e o Ronnie Von na vaga do Fernando Haddad.

MILÚ VILLELA


Milú Vilela - VEJASP 30 anos

Milú Vilela – VEJASP 30 anos

QUE OBRA DARIA DE PRESENTE À CIDADE?

São Paulo merece mais que uma obra de arte. O que precisamos ter são políticas públicas vigorosas de ampliação do acesso à cultura. No Jardim Miriam, onde desenvolvo um projeto social há mais de vinte anos, é costumeiro depararmos com adolescentes que nunca foram a um cinema ou a um teatro. Temos de superar esse desafio.

MC GUIMÊ

O QUE SÃO PAULO MAIS OSTENTA?


MC Guimê - VEJASP 30 anos

MC Guimê – VEJASP 30 anos

Ah, com certeza é o lance noturno, é muito top. Em outros lugares, às vezes às 2 da manhã já está todo mundo dentro de casa. Aqui na cidade tem festa todo dia, de segunda a segunda.

MARÍLIA GABRIELA


Marília Gabriela - VEJASP 30 anos

Marília Gabriela – VEJASP 30 anos

QUAL O MAIOR DEFEITO E A PRINCIPAL QUALIDADE DE SÃO PAULO?

A maior qualidade que poderia existir: tem uma ótima paisagem humana. O defeito é a confusão, esse caos, que de certa forma ficou organizado. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s