USP tem vizinhança problemática

Participante do assassinato de estudante mora na favela São Remo, que fica próxima à universidade

O comerciante Irlan Graciano Santiago confessou no dia 9 ter participado do latrocínio do estudante Felipe Ramos de Paiva em um estacionamento da USP no mês passado — seu comparsa, suposto autor do disparo, está foragido. Sem antecedentes criminais, ele pôde voltar para casa, na favela São Remo. Ela se formou em um terreno da universidade a partir de 1967 e tem até um portão de acesso ao câmpus. Veja alguns números da favela:

– 2.000 casas

– 5.600 moradores

– 92.900 metros quadrados de área

– 60% de vias pavimentadas

– 40% das ruas com iluminação

+ Assassinato de estudante reacende medo na USP

 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s