Três perguntas para Caio Castro

De férias da TV, o ator estreia no cinema em <em>A Grande Vitória</em> na pele de um personagem real, o judoca Max Trombini

Qual era sua relação como judô antes do filme?

Comecei a praticar aos 7 anos e cheguei até a faixa marrom. Fiz questão de não pedir dublês. Participei, inclusive, do Kangueiko, um treinamento para judocas bastante puxado que existe na cidade de Bastos, no interior de São Paulo. Também “colei” no Max Trombini durante semanas, até nas horas com a família. O judô me ensinou a manter a disciplina, algo que carrego até hoje.

+ Três perguntas para Zezé Polessa

+ Três perguntas para Ney Latorraca

O que vem depois de A Grande Vitória?

Fiz uma pausa para divulgar o filme, mas tenho ficado em Salvador atuando no meu segundo longa metragem. Chama-se Travessia e é uma história de jovens embalados por festas e drogas. Vou dar uma parada com os trabalhos na televisão; afinal, estou emendando um atrás do outro desde 2007.

Não sente falta de férias?

Agora não. Em 2012, dei um tempo para repensar algumas coisas. Aproveitei para visitar 23 países em um ano.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s