Táxis ganham sistemas de TV

Prefeitura aprova a instalação de minitelevisores, que já podiam ser vistos em ônibus e no metrô

Os motoristas de praça, tagarelas por natureza, sempre acumularam os papéis de psicólogo, conselheiro amoroso, parceiro de mesa-redonda futebolística e consultor de tendências políticas, entre outros. Aos poucos, porém, as viagens estão ficando mais silenciosas. “Hoje, quem pega uma corrida durante o dia está concentrado no celular ou no notebook e sem tempo para bater papo”, lamenta Wagner Diniz, que trabalha num ponto na região do Itaim Bibi. Uma nova tecnologia deve aumentar ainda mais a lista de distrações. Recentemente, a prefeitura aprovou uma lei que regulamenta a instalação de minitelevisores para os passageiros.

+ Taxistas de São Paulo cobram taxas de chamada e agendamento

+ O teste dos ônibus: no sufoco da catraca

+ Trânsito: o maior problema de São Paulo

Os monitores podem ser colocados no encosto dos bancos, virados para quem segue nos assentos traseiros dos veículos. Na prática, a iniciativa tem como objetivo organizar um serviço que vários profissionais já estavam oferecendo durante os deslocamentos pela metrópole. “Além disso, ela proporciona nova possibilidade de ganhos para uma categoria que perdeu uma renda extra com a proibição de publicidade nos veículos depois da Lei Cidade Limpa”, diz Helder Pereira, diretor do Departamento de Transportes Públicos (DTP). O órgão abriu inscrições para as empresas interessadas em administrar o negócio. Não há limite de emissoras. Caberá a cada motorista decidir qual delas é a mais vantajosa — ou seja, aquela que oferece o melhor equipamento, o conteúdo mais interessante e a melhor comissão sobre a publicidade exibida.

Uma companhia especializada nesse mercado, a Cartaxi, foi a primeira a entrar na briga. Oferecerá monitores sensíveis ao toque para o espectador escolher o que vai ver, entre notícias e serviços como o da previsão do tempo. Promete ainda repassar 40% dos ganhos com anúncios para o motorista. A “estreia” deve acontecer no início de setembro. Entre as regras estabelecidas, 15% da programação deverá ser destinada a campanhas educativas e institucionais do governo. Para não atrapalhar o taxista, os televisores não terão som aberto, mas podem ser equipados com fones de ouvido. A legislação proíbe a veiculação de qualquer outro conteúdo a não ser o dessas emissoras. Não vale, portanto, divertir os passageiros com um show em DVD.

Os usuários de transportes públicos já estão habituados a esse tipo de serviço. No metrô de São Paulo, por exemplo, a programação da TV Minuto é transmitida nos vagões das três principais linhas (1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha). São 5.200 monitores, com público potencial de 3,6 milhões de pessoas. O metrô fica com 33,6% do valor arrecadado com os anúncios. “Muitas notícias de economia me atraem, mas acho as letras das legendas pequenas demais”, diz a analista de investimentos Mariana de Souza, de 24 anos, que usa o meio de transporte de segunda a sexta-feira para trabalhar. Sua irmã, Luana, prefere as promoções da emissora, das quais é possível participar por mensagem de texto via celular. “Jamais consegui ganhar”, lamenta. No mesmo vagão, o professor Marcelo Luiz Pereira faz uma ressalva: “Tem propaganda demais”.

Bruno Chacon - 2224

Bruno Chacon – 2224

A TV Minuto, especializada em mídia para transporte, pertence ao Grupo Bandeirantes. É o mesmo dono da marca TVO, que possui aproximadamente 1.000 monitores espalhados pelos ônibus de São Paulo. A meta é chegar a 4.400 pontos até o fim de 2012. Outras empresas, como a Bus Mídia TV, que exibe programas da Rede Globo com legendas, também disputam os olhares dos passageiros de coletivos. A rede conta com 500 equipamentos instalados. As principais atrações do cardápio são os resumos das novelas da emissora e os telejornais. O acordo comercial é feito diretamente com as empresas de ônibus. A companhia paga entre 100 e 200 reais mensais por veículo equipado com seus monitores. “É uma forma bacana de se atualizar sobre o que acontece no mundo enquanto ficamos parados no trânsito”, diz o produtor Bruno Chacon, de 28 anos, usuário de uma linha que o leva diariamente da Rua Augusta para a Avenida Faria Lima.


OS CAMPEÕES DE IBOPE DO TRÂNSITO

As principais emissoras presentes nos meios de transporte da capital

TV MINUTO

Exibição: metrô

Monitores: 5.200

Programação: atrações da TV Bandeirantes, previsão do tempo, índices econômicos, promoções interativas por celular

TVO

Exibição: ônibus

Monitores: 1.000

Programação: semelhante à grade da TV Minuto, ancorada com programas da Band exibidos com legendas e sem som

BUS MÍDIA TV

Exibição: ônibus

Monitores: 500

Programação: resumos de telenovelas e de telejornais da grade da Rede Globo, também exibidos sem som e com legendas

BUS TV

Exibição: ônibus

Monitores: 450

Programação: reportagens e dicas sobre temas como saúde, lazer, mercado de trabalho, além de resumos de novelas

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s