Projeto de lei pode legalizar comida de rua

Cachorro-quente e pastel são as únicas permitidas, atualmente, na cidade

O comerciante Rolando Vanucci vende 2 mil quilos de pratos como espaguete e nhoque por mês. Instalado desde 2008 no estacionamento de uma loja de lingerie na Avenida Sumaré — portanto, um local privado —, não está sujeito à regra que proíbe a venda desse tipo de alimento nas ruas da cidade. Pois um projeto de lei do vereador Andrea Matarazzo (PSDB), em discussão na Câmara, promete ser mais liberal com a atividade.

Como é atualmente: o cachorro-quente é a única comida que tem autorização para ser vendida na rua; pastéis são permitidos em feiras livres.

Como pode ficar: a prefeitura poderá liberar outros tipos de alimento, desde que preencham critérios como passar por inspeção sanitária.

+ Episódios curiosos envolvendo ex-governadores vira livro

+ Os bingos-fantasma da cidade

+ Projeto quer instalar Wi-Fi em árvores

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s