Picchi usa processador de massas italiano do século XIX

Máquina de bronze foi trazida há quarenta anos de Vicenza, na Itália, por Oliva Cerisara

Parece instrumento de tortura medieval, mas é um processador de massas do século XIX, o bigolaro. De suas entranhas sai o bigoli, macarrão grosso semelhante a um tubo. A máquina de bronze foi trazida há quarenta anos de Vicenza, na Itália, por Oliva Cerisara, e está há um mês no restaurante Picchi (Rua Jerônimo da Veiga, 36, Itaim Bibi, Tel. 3078-9119), de seu neto.

Para criar os canudos, o chef se senta no banco de madeira e gira a manivela. “É uma massa dura, difícil de ser trabalhada”, diz o dono, Pier Paolo Picchi, que abre sua cozinha para os clientes curiosos conhecerem o aparelho.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s