Gestora de cultura cria plataforma para ajudar refugiados

Ferramenta auxilia imigrantes e refugiados a venderem produtos e serviços típicos de seu país de origem

Formada em marketing, a paulistana Paola Caiuby, de 34 anos, especializou-se em promover atividades culturais na cidade. Um dos mais marcantes de sua vida ocorreu em janeiro de 2016, no Museu da Imagem e do Som (MIS). Nele, refugiados e imigrantes fizeram demonstrações de atividades típicas de seu país de origem, entre elas dança africana e caligrafia árabe.

Após a experiência, Paola teve a seguinte ideia: criar um site que reunisse produtos e serviços oferecidos por essa população na capital. Ela desenvolveu um projeto sobre o assunto e o inscreveu no Programa Vai Tec, mantido pela prefeitura, que tem por objetivo financiar propostas tecnológicas que aumentem o bem-estar das pessoas.

Foi selecionada no fim do ano passado e, como prêmio, recebeu 27 000 reais para investir no programa. Com o dinheiro, contratou dez pesquisadores para mapear os refugiados com bons empreendimentos em São Paulo e pagou a um desenvolvedor para produzir a plataforma.

A ferramenta on-line, chamada Conectados, entrou no ar em março e é totalmente gratuita. Dispõe hoje de 170 ofertas de empreendedores de dezenove países, divididas em oito categorias: culinária, aulas, artesanato, artes visuais, música, moda, dança e palestras.

Na Conectados, além de prestação de serviços, encontram- se histórias de superação, como a da síria Muna Darweesh, que veio para o Brasil em 2013, com o marido e quatro filhos, fugindo da guerra civil. Longe de casa, ela achou na culinária uma forma de garantir o sustento da família.

Atualmente, recebe pedidos de delivery de pratos típicos árabes. “Sou formada em literatura inglesa, mas quando cheguei ainda não falava bem o português para trabalhar com isso. Agora, consigo me manter com a cozinha.” Outro filiado ao site é o paquistanês Raheel Shahbaz, há cinco anos no país.

Ele oferece aulas de inglês e culinária, palestras sobre a cozinha do Paquistão, e quadros pintados a óleo. Desde seu lançamento, a plataforma registrou 45 000 visualizações. “Recebo muitas mensagens de agradecimento”, diz ela. “É uma satisfação ajudá-los a se inserir no mercado de trabalho e a reconstruir a vida por aqui.”

conectados.cc

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s