Palácio de no Horto Florestal vai sediar exposições de arte

Com oito quartos, este casarão neocolonial de 22 cômodos foi construído na década de 30 para ser a residência do administrador do Horto Florestal. Mas sua função mudou quando o então governador paulista Adhemar de Barros, em 1949, decidiu transformá-lo em seu palácio de verão. Desde então, o imóvel ficou à disposição de seus sucessores. Mario Covas e Geraldo Alckmin eram usuários assíduos. Cláudio Lembo não se hospedava, apenas descansava ali durante o dia. O atual, José Serra, fez uma única visita. Cercada pela Mata Atlântica, a casa abriga uma coleção de 300 obras de arte, que nunca foram vistas pelo público. “A partir do primeiro semestre de 2008, pretendemos abrir as portas pela primeira vez, com algumas exposições”, promete a diretora do acervo artístico dos palácios estaduais, Ana Cristina Carvalho.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s