Mulher nua ataca moradores do interior e se joga no rio

Com princípio de afogamento em água poluída, vítima teve de ser reanimada pela equipe de socorristas, mas morreu no hospital

A cidade de Santa Bárbara d’Oeste (a 135 quilômetros de São Paulo) registrou, pela segunda vez na semana, uma ocorrência policial envolvendo mulheres nuas pelas ruas do município. Dessa vez, a “peladona” acabou se jogando em um ribeirão que corta a cidade para fugir de guardas municipais que tentavam abordá-la. Ela foi resgatada e enviada ao Pronto Socorro local, mas não resistiu e morreu nesta sexta (21), de acordo com o jornal local Todo Dia.

+ Homem nu é flagrado na Avenida Paulista

O caso ocorreu na manhã da quinta (20). A mulher de 37 anos, que não teve a identidade revelada pela polícia, caminhava seminua pelo Jardim Icaraí e começou a agredir populares que estavam no local e tentavam fazer com que ela vestisse roupas.

“Ela estava andando, para cima e para baixo, só de sutiã. Pediram para que ela colocasse a roupa. Foi aí que ela ficou doida e começou a dar porrada em todo mundo que chegava perto”, contou o comerciário Jair da Silva Bosco, 34, que trabalha nas proximidades de onde ocorreu o fato.

A Guarda Municipal foi chamada e tentou abordá-la, mas ela começou a correr, tirando completamente a roupa. Na sequência, se dirigiu ao Ribeirão dos Toledos, um rio poluído que corta a cidade, e se jogou no manancial. Testemunhas informaram que, mesmo em uma profundidade baixa, a mulher não conseguia nadar direito e começou a se afogar.

+ Policiais são baleados durante perseguição na Castello Branco

Os bombeiros foram chamados, fizeram o resgate e a levaram para o Pronto-Socorro Edson Mano, onde permanecia em oberservação. De acordo com a Guarda Municipal, a mulher teve apenas pequenos ferimentos e sofre de transtornos mentais.

Na segunda (17), uma mulher de 30 anos também transitou nua pelas ruas centrais de Santa Bárbara d’Oeste. Por volta das 15h30, ela parou em um posto de gasolina, onde foi contida por policiais. Na ocasião, a mulher teve que ser amarrada por policiais e acabou levada até o pronto socorro. Ela foi liberada pouco depois. A Polícia Civil informou que se tratam de mulheres diferentes.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s