Ministério do Trabalho adere ao deboísmo e cria polêmica na internet

Pasta sugeriu que trabalhadores deixassem as preocupações e fofocas de lado e "ficasse de boa"

“Clima chato no trabalho? Muita fofoca e tititi? Colegas tentando puxar seu tapete?”. Para o Ministério do Trabalho e Emprego, que usou a imagem de um bicho-preguiça para responder a essas três perguntas no Twitter e no Facebook, a solução é praticar o “deboísmo”.

A expressão, que ganhou popularidade nas redes sociais nos últimos tempos, sugere que a pessoa deixe de lado as preocupações e fique “de boa”. “Aqui no Ministério do Trabalho e Emprego somos adeptos do #deboísmo”, completou a pasta na postagem, referindo-se ao movimento que ganhou seguidores nas redes e tem uma preguiça como mascote.

Renan Calheiros cita Valesca Popozuda para falar sobre crise

Uma infinidade de “memes” com fotos da preguiça associadas a frases engraçadinhas enaltecendo ficar “de boa”. O que era provavelmente para ser uma brincadeira gerou uma enxurrada de críticas no Twitter no fim da tarde desta quarta-feira (2).

A maioria encarou a mensagem como uma resposta do governo à crise vivida no país, que tem registrado aumento nos índices de desemprego.”O garoto-propaganda do MTE agora é um bicho-preguiça?”, questionou um internauta. “Que tal estimular a geração de empregos em vez de ficar pregando deboísmo nas redes?”, sugeriu outro, entre comentários impublicáveis coalhados de palavrões.

deboismo

deboismo

“Esse cartaz da preguiça do governo me faz pensar que o próximo vai ter um pelourinho, uma chibata e um capitão do mato.”A pasta até que tentou revidar as primeiras críticas. “Ser de boa não significa ser inerte ao mundo, significa ser ponderado”, justificou o ministério, que logo tentou se desvincular da imagem da preguiça.

“O bicho-preguiça é garoto propaganda do deboísmo. Não confunda!”, disse a quem questionou sobre a mascote.Mas já não havia tempo: “Se vcs apoiam o deboísmo e o bicho-preguiça ser garoto propaganda deles, então já entra como agregado”, rebateu. 

Confira as últimas notícias da cidade

Procurada pela reportagem, a pasta disse, em nota, que a postagem tinha como objetivo usar “as linguagens apropriadas das redes sociais para disseminar as boas práticas no ambiente de trabalho”.

Segundo o ministério, outras publicações têm sido feitas para explicar os direitos dos trabalhadores e as boas posturas no mercado de trabalho, “alcançando mais de 10 milhões de usuários apenas no último mês”.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s