Metrô em Higienópolis: a opinião dos vizinhos famosos

Mudança de planos quanto à localização da estação que ficaria na Avenida Angélica gera controvérsias

Na última quarta-feira (11), o movimento organizado pela Associação Defenda Higienópolis, composta por moradores e comerciantes da região, contra a instalação de uma estação de metrô na Avenida Angélica, principal via do bairro da Zona Oeste, causou polêmica. Após os protestos, o governo desistiu do projeto naquele local. Na internet, a reação foi imediata. Muitos acharam a medida elitista e o contra-ataque começou. O tema chegou, inclusive, ao topo dos assuntos mais comentados no Twitter.

+ Walcyr Carrasco comenta sobre o metrô em Higienópolis

Como retaliação à mudança de planos, um evento criado no Facebook começou a dar o que falar. O chamado “Churrascão da Gente Diferenciada” (uma referência a um termo usado por uma moradora do bairro em uma entrevista) prometia fazer barulho em frente ao Shopping Higienópolis neste sábado (14). A reunião, no entanto, foi cancelada devido ao grande número de adeptos — quase 50.000 confirmaram presença pela rede social. A Polícia Militar e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) demonstraram preocupações com a segurança tanto dos manifestantes quanto dos moradores. O protesto foi transferido para a praça Vilaboim e agora tende a virar uma reunião para colher assinaturas e agasalhos para os mais necessitados. No entanto, estão brotando novos eventos para garantir que o churrasco aconteça.

Em meio à polêmica, fomos atrás de vizinhos famosos para saber o que eles acham de uma estação de metrô no coração do bairro. Confira as opiniões:

 

Marina Person, apresentadora

“Qualquer medida contra o metrô é a maior bobagem. Sou totalmente a favor da estação e, melhor ainda, seria construir uma na Praça Charles Miller e uma na Avenida Angélica. Sou a favor de iniciativas para melhorar o transporte público em São Paulo. Metrô é um bem público que vai melhorar a vida de todo mundo. Por outro lado, o projeto tem que ser bem estudado e a estação deve se localizar no ponto mais central e de fácil acesso. Na região do estádio do Pacaembu a estação ficaria, literalmente, na boca do gol. Essa briga entre os a favor e os contra é ridícula. Vai gerar polêmicas desnecessárias. Mesmo essa posição elitista dos moradores do bairro é autodestrutiva.”

Costanza Pascolato

Costanza Pascolato

Costanza Pascolato, consultora de moda e empresária

“Não sou contra o metrô, pelo contrário. Tem muita gente que trabalha por aqui e precisa dele. Mas para mim é estranho ter uma estação tão próxima da outra. Na Rua da Consolação vão construir uma que está há poucas quadras dessa (a estação Higienópolis-Mackenzie, da Linha Amarela). Com outra tão perto, é ruim fazer um buracão na avenida e tirar o supermercado que é ótimo e um dos poucos na região.”

Silvia Poppovic

Silvia Poppovic

Silvia Poppovic, apresentadora

“Acho que o metrô é absolutamente bem-vindo. Morei em Higienópolis a minha vida inteira e sei que é necessário. Essa, na verdade, é uma falsa polêmica. A dúvida não é ter ou não o metrô, e sim qual vai ser a localização. Parece razoável deslocar ele da Avenida Angélica para o Pacaembu, porque já está planejada uma estação próxima ao Mackenzie. Além disso, eu moro em cima do Pacaembu e sei o tanto de gente que vem ver os jogos. Quando o Shopping Pátio Higienópolis ia ser construído também houve uma polêmica e hoje em dia ele está totalmente incorporado pelo bairro. As pessoas se sentem ameaçadas com mudanças e ficam com medo de que o mundinho delas seja alterado, mas o metrô é, sim, necessário.”

Dudu Bertholini

Dudu Bertholini

Dudu Bertholini, estilista

“Eu acho muito mais razoável que seja no Pacaembu. Lá dá muito mais vazão para as pessoas, por causa dos jogos de futebol e até mesmo da Faap. No Pacaembu funcionaria melhor porque é um lugar que não tem tanto acesso de ônibus, ao contrário da Avenida Angélica, onde um metrô poderia até atrapalhar o trânsito. Agora esse pensamento de “gente diferenciada” é totalmente retrógrado. O que que é gente diferenciada? Eu moro no Brasil, um país característico pela miscigenação. É um absurdo.”

Marcelo Adnet

Marcelo Adnet

Marcelo Adnet, humorista

“A discussão tomou uma proporção para além do que realmente é. Virou quase uma luta de classes e a frase que uma pessoa falou, sobre as pessoas diferenciadas, foi posta na boca de todos os moradores. Essa generalização absurda acaba virando um telefone sem fio, que incita a população. A polêmica fugiu da questão, que é o transporte público, e passou a ser algo sobre preconceito contra judeus e velhinhos, a invenção do tal churrasco. Higienópolis é um bairro residencial, tranquilo. Não haveria a necessidade de ter uma estação na Angélica com outra próxima ao Mackenzie. Há outras áreas na cidade que precisam muito mais: ao longo da Avenida Faria Lima, que é super movimentada, e bairros afastados como o Jardim Ângela. Eu, como morador do bairro, fico dividido. A primeira reação é não querer por causa da desvalorização, do aumento do movimento e do consequente caos. Mas tem o outro lado, que é o da população, que tem o direito de ir e vir.”

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s