Mercado Municipal teve vitrais restaurados antes mesmo da inauguração

Com 12 600 metros quadrados, o Mercado Municipal nasceu na prancheta do arquiteto Ramos de Azevedo e começou a ser erguido em 1928. Quatro anos depois, já pronto, o local acabou servindo como paiol de armas e munições para a Revolução Constitucionalista. Há relatos de que nessa época soldados chegaram a praticar tiro mirando as cabeças estampadas nos 55 vitrais neogóticos de Conrado Sorgenicht Filho. Tanto que, com o fim das batalhas, o vitralista trabalhou por mais dois meses repondo os fragmentos quebrados. Finalmente, em 25 de janeiro de 1933, durante as festividades do aniversário da cidade, o Mercadão foi aberto. A foto acima, feita pouco tempo depois de sua inauguração, integra o livro São Paulo: a Juventude do Centro, de Pedro Cavalcanti e Luciano Delion, publicado pela Grifo Projetos Históricos e Editoriais.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s