Maksoud permanece sem comprador

O Maksoud já foi o mais requintado hotel paulistano e um dos orgulhos da cidade. Colocado em leilão para pagamento de dívidas trabalhistas da empresa Hidroservice, que como o hotel pertence ao engenheiro Henry Maksoud, não encontrou comprador. Ninguém quis dar o lance mínimo de 47,5 milhões de reais. O hotel viveu dias de glória nos anos 1980, quando tinha à sua frente o então jovem empresário Roberto Maksoud, filho do dono. Hoje afastado dos negócios da família, Roberto imprimiu ao estabelecimento um padrão de excelência incomum mesmo em alguns cinco-estrelas internacionais. Além do 150 Night Club, onde se apresentaram o cantor Frank Sinatra e o pianista Bobby Short, o Maksoud tinha bares sofisticados e restaurantes de alto padrão gastronômico. Tudo se tornou apenas uma sombra do que foi. Na foto acima, de 1985, Roberto aparece em um dos bares do hotel, onde morava, tinha seu escritório e chegava a ficar duas semanas seguidas, sem colocar os pés na rua.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s