Humberto Werneck lança livro sobre Violões Di Giorgio

Era nesta loja em meio ao comércio da Rua Voluntários da Pátria, em Santana, que muitos músicos se reuniam no fim da década de 40 (foto). Fundado em 1908, o Atelier de Violões Finos Romeo Di Giorgio teve de expandir sua fábrica para o prédio vizinho com o boom de vendas provocado pela bossa nova, dez anos depois. “Começamos a vender tantos violões que paramos de produzir violas e cavaquinhos”, lembra o presidente Reinaldo Di Giorgio Junior, neto do patriarca. Histórias assim estão no livro Violões Di Giorgio – Os Primeiros Cem Anos, escrito pelo jornalista Humberto Werneck, brinde para clientes, como os compradores dos 100 violões da série comemorativa Cent’Anni.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s