Hidroavião italiano Jahú, da década de 20, é completamente reformado

Depois de ficar quatro anos literalmente jogado às traças, o hidroavião italiano Jahú, da década de 20, está novinho em folha. “Encontramos a aeronave abandonada em um hangar do Campo de Marte”, conta João Velloso, presidente da Helipark, empresa de serviços para helicópteros que bancou a reforma. “A madeira estava podre e toda corroída por cupins.” Conhecido como “pássaro de fogo”, o Jahú ficou famoso quando, em 1927, o paulista João Ribeiro de Barros fez com ele um vôo sem apoio de navios sobre o Atlântico. Seu destino, no entanto, é incerto. De acordo com a Fundação Santos Dumont, dona do avião, a TAM tem interesse em levá-lo para um museu da companhia, em São Carlos, e a prefeitura de Jaú, terra natal de Barros, quer que ele vá para lá. Só é certo que o hidroavião não sairá de São Paulo voando. “Sua estrutura não agüentaria”, diz Velloso.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s