Há noventa anos, a Revolução de 1924 deixava mais de 500 mortos na capital

O governador Carlos de Campos chegou a ser expulso do Palácio dos Campos Elíseos pelas tropas do general da reserva Isidoro Dias Lopes

Maior conflito já ocorrido em solo paulistano, a Revolução de 1924 completa noventa anos neste mês. Iniciada em 5 de julho daquele ano, deixou 503 morto se 4 846 feridos em 23 dias de combate entre os militares rebeldes, na maioria tenentes, e os legalistas.

 

O governador Carlos de Campos chegou a ser expulso do Palácio dos Campos Elíseos pelas tropas do general da reserva Isidoro Dias Lopes. Sob as ordens do então presidente Arthur Bernardes, o Exército oficial cercou a cidade com mais de 18 000 soldados — os revoltosos eram cerca de 3 500 — e começou um bombardeio, despejando toneladas de tiros e granadas sobre bairros como Brás, Mooca e Belenzinho, que concentravam grandes indústrias. Até tanques e aviões foram usados no ataque. O Arquivo Histórico de São Paulo, no Carandiru, e o Arquivo da Cúria Metropolitana, no Ipiranga, guardam cartas de moradores que narram episódios ocorridos durante o confronto.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s