Governo de São Paulo testa serviço público feito de casa

O "teletrabalho" está sendo testado na Secretaria Estadual da Fazenda e na Procuradoria Geral do Estado

Nos próximos oito meses, um grupo de funcionários públicos do governo do Estado vai fazer parte do teste de um projeto para reduzir gastos públicos fixos e, se possível, aumentar a produtividade no funcionalismo. A ideia é trabalhar em casa, sem aparecer nas repartições três vezes na semana.

O “teletrabalho” está sendo testado na Secretaria Estadual da Fazenda e na Procuradoria Geral do Estado. Funcionários inscritos no programa podem trabalhar de casa de terça a quinta-feira, desde que se prontifiquem, caso necessário, a chegar ao local de trabalho em até duas horas. Outros órgãos estaduais podem apresentar projetos para fazer testes semelhantes.

Veja também

“Tenho um filho de 3 anos e achava que seria bom. Mas não achava que seria tão bom”, diz, enfatizando o “tão”, a servidora Patrícia Cozentino, de 38 anos, funcionária da Fazenda. “Quando você tem horário fixo, principalmente com criança, fica mais difícil. Você tem de colocar a criança na agenda. Com o horário mais flexibilizado, tudo fica mais fácil”, conta.

Patrícia é servidora em um setor de revisão de processos administrativos. Trabalha só no computador – que pode estar em qualquer lugar do mundo. “Todo o setor é informatizado há bastante tempo. Tudo pode ser feito remotamente, sem nenhuma perda”, afirma.

“Você só entende quando sente. Uma coisa é você acordar, se arrumar, tomar banho, um café, andar, pegar carro, andar de metrô e trabalhar. Quando tira essa rotina de você, tira todo o cansaço, o estresse, e começa a trabalhar muito melhor”, diz ela.

Segundo o secretário da Fazenda, Hélcio Tokeshi, esse bem-estar já dá resultado. “Os funcionários que estão no Teletrabalho têm produtividade 15% maior.”

Para o professor do Departamento de Gestão Pública da Fundação Getúlio Vargas Marco Antônio Carvalho Teixeira medidas nesse sentido podem de fato elevar a produtividade e reduzir custos. “É preciso ficar atento a questões de segurança da informação”, destaca.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s