Inventor dos efeitos especiais, Georges Méliès ganha mostra inédita

A partir desta terça (3), museu terá fotos, figurinos e maquetes dos longas do cineasta

Caixas que fazem cabeças explodirem, sultões das “Mil e Uma Noites” e foguetes que cruzam os céus fizeram parte da imaginação de Georges Méliès (1861–1938), considerado o pioneiro dos efeitos especiais na tela grande e recentemente homenageado em “A Invenção de Hugo Cabret”, de Martin Scorsese, ganhador de cinco prêmios Oscar neste ano. A partir das 19h desta terça (3), os paulistanos poderão entender como esse criativo universo ganhava vida própria na mostra “Georges Méliès, O Mágico do Cinema”, que ocupará dois andares do Museu da Imagem e do Som – MIS até 16 de outubro.

+ Conheça os detalhes da produção “A invenção de Hugo Cabret”

+ Confira as melhores exposições em São Paulo

A exposição reúne 124 peças, entre fotos, esboços, maquetes e figurinos que contam, em cinco partes, a vida e as principais criações desse multiartista da Belle Epóque francesa: do início da carreira como mágico às apresentações no teatro de Robert-Houdin, passando por alguns de seus 500 filmes. O mais famoso deles, “Viagem à Lua”, de 1905, ganhou um módulo próprio, com os esboços e mapas dos efeitos utilizados, além de parte do cenário original. O longa estará em exibição dentro de um foguete cenográfico, criado especialmente pela instituição. Trechos de dez obras serão projetados diretamente no ambiente da mostra.

Cineasta por um diaOutra atração é a Instalação Méliès. “Queria algo que mostrasse ao público um pouco do que era a experiência de fazer essas produções numa época em que não existia computação gráfica”, explica André Sturm, diretor do MIS. Para isso, um set receberá grupos de até oito pessoas para gravarem filmetes de 30 segundos. Grandes objetos móveis criados pela artista plástica Letícia Ramos poderão ser utilizados como cenários e os participantes vão se valer de técnicas e truques criados pelo francês. O material será montado pela equipe do museu, que disponibilizará, no dia seguinte, as gravações em um hotsite para ser compartilhado nas redes sociais. Os grupos serão agendados e a inscrição deve ser feita no próprio hotsite, na página eletrônica do MIS, a partir de quarta (4). As filmagens começam no sábado (7).

A sessão Cinematographo, dedicada a obras mudas e realizada mensalmente na instituição, também terá programação especial. No dia 15, Lawrence Lehérissey e Marie-Hélène Lehérissey, bisnetos do cineasta, estarão presentes para musicar, com piano e violão, dezesseis curtas de Méliès, entre eles “Barba Azul”, “A Crisálida e a Borboleta”, “O Diabo Negro”, e claro, “Viagem à Lua”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s