Exposição ‘Todos os Santos, do Sagrado Profano’ em São Paulo

Depois de causar certa polêmica por onde passou, a exposição Todos os Santos, do Sagrado ao Profano chegou a São Paulo sem muito alvoroço. Formada por 28 telas, a mostra havia incomodado por trazer Marias nuas e por soar como de – boche dos canonizados católicos. “É uma procissão artística. Cada autor foi convidado a conceber livremente um santo que não existisse ou que pertencesse ao imaginário popular”, diz a curadora Marta Oliveira, criadora da Santa Paciência. Com previsão de ficar até 6 de janeiro na Casa de Portugal, na Liberdade (☎ 3209-5554), a coletiva apresenta também a Santa do Pau Oco, de Ivald Granato, e a Santa Felicidade, da belga Catherine Pier Favre.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s