Dry martini: um clássico renovado

Barmen paulistanos criam coquetéis moderninhos e refrescantes inspirados no célebre drink

Reza a lenda que o dry martini foi inventado em 1910, no bar do hotel Knickerbocker, em Nova York. Um barman de sobrenome Martini teria reunido gim e vermute seco para atender a um pedido do magnata americano John D. Rockefeller. Surgia ali um dos coquetéis mais famosos do mundo (e o favorito de James Bond). Agora, a nova onda entre os barmen da cidade é criar versões do célebre drinque. Dispostos a conquistar o paladar dos moderninhos e, principalmente, das mulheres, eles apostam em combinações leves, coloridas e bem geladas. “É uma tendência em Londres e Nova York que chegou com força a São Paulo”, afirma o barman Derivan Ferreira de Souza, um dos mais respeitados profissionais da área.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s